Irã suspende exportações de petróleo para países da UE, diz TV

Rede estatal diz que governo vetou negócios com Holanda, França, Grécia, Portugal, Espanha e Itália, mas ministério iraniano nega

iG São Paulo |

A emissora estatal iraniana Press TV afirmou nesta quarta-feira que o Irã interrompeu as exportações de petróleo para seis países europeus, em resposta às sanções impostas pela União Europeia (UE) às importações do produto do país persa. No entanto, pouco depois de a notícia ser divulgada, um porta-voz do Ministério do Petróleo do Irã negou o veto às exportações. "Negamos essa informação. Se tal decisão for tomada, será anunciada pelo Conselho Supremo de Segurança Nacional do Irã", afirmou.

De acordo com a Press TV, o Irã parou de exportar petróleo para Holanda, França, Grécia, Portugal, Espanha e Itália – os quatro últimos países gravemente afetados pela crise econômica .

Por volta das 9h30, pouco depois do anúncio da TV estatal, os preços futuros do petróleo Brent subiam mais de US$ 1 o barril, para US$ 118,78.

Aumento da pressão: União Europeia anuncia embargo ao petróleo do Irã
Punição:
Saiba quais são as principais sanções internacionais contra o Irã

O Irã havia anunciado que iria cortar as exportações para alguns países europeus após a UE ter aprovado um embargo ao produto iraniano.  O pacote de sanções, acordado pelos 27 ministro das Relações Exteriores do bloco em janeiro, inclui um embargo imediato a novos contratos de importação de petróleo e seus derivados, enquanto contratos já existentes podem continuar até julho.

Atualmente, cerca de 20% das exportações de petróleo do Irã têm a União Europeia como destino. Os principais compradores são a Itália, a Espanha e a Grécia. O bloco prometeu ajudar principalmente o governo grego, um dos mais afetados pela crise, a se adaptar ao embargo.

Segundo diplomatas do bloco, as medidas são parte de uma política de duas vias em relação ao Irã. Por um lado, a UE endurece as sanções para desestimular o programa nuclear iraniano, que, para o Ocidente, busca o desenvolvimento de armas atômicas. Por outro lado, demonstra sua disposição em dialogar com o governo do Irã, que defende o caráter pacífico de seu programa nuclear.

Infográfico: Saiba mais sobre o Estreito de Ormuz

A tensão entre o Irã e o Ocidente se intensificou nos últimos meses. Após as sanções nucleares ocidentais, o governo iraniano ameaçou fechar o Estreito de Ormuz , fazendo o preço do petróleo disparar no mercado. No mesmo momento, os EUA reagiram, afirmando que qualquer interrupção na passagem ' não seria tolerada '.

Com extensão estimada em 202,1 km, o Estreito de Ormuz é importante principalmente para os mercados asiáticos, uma vez que 85% do petróleo exportado por essa via vai para a Chna, Japão e Coreia do Sul.

Especialistas avaliam que é improvável que o Irã tenha capacidade de realizar um bloqueio físico no Estreito, porque seus pequenos navios não conseguiriam permanecer em formação linear por muitos dias em águas abertas.

Entretanto, o país persa pode, se quiser, impedir a entrada de embarcações no estreito por meio de ataques a navios petroleiros e de guerras ocidentais com mísseis, minas e ataques suicidas.

Com AP e AFP

    Leia tudo sobre: irãunião europeiasançõespetróleoprograma nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG