Irã rompe relações com Museu Britânico

Teerã, 7 fev (EFE).- O Irã decidiu romper relações com o Museu Britânico pela decisão da entidade de atrasar a cessão da famosa peça Cilindro de Ciro, anunciou a Organização para a Preservação do Patrimônio Cultural do Irã.

EFE |

"O Museu Britânico deveria ter enviado o Cilindro de Ciro ao Museu de Teerã até hoje. No entanto, decidiu adiar a questão até julho, algo que é inaceitável para nós", explicou o diretor da organização iraniana, Hamid Baghaei, citado hoje pela televisão estatal.

Essa é a segunda vez que o Museu Britânico adia a entrega do artefato, feito durante o reinado do Rei Ciro, o Grande (559-530 a.C.), da dinastia aquemênida, e considerado a primeira declaração de direitos humanos da história.

Segundo um acordo bilateral, o cilindro deveria ter retornado ao Irã em setembro de 2009, mas os responsáveis britânicos adiaram o envio devido à situação de instabilidade criada pelos frequentes protestos da oposição, que denunciou fraude nas eleições presidenciais de junho passado.

Em relação a isso, Baghaei acusou os responsáveis do Museu Britânico de ter "politizado um assunto puramente cultural".

"Dado que a Organização para a Preservação do Patrimônio Cultural é uma entidade unicamente cultural, ela decidiu cortar suas relações com o Museu Britânico, que se transformou em uma organização política", argumentou.

"Romperemos todo tipo de cooperação, como exposições, missões arqueológicas e projetos de pesquisa. Temos certeza de que o museu e, em particular, o centro de estudos do Oriente Médio, sofrerá uma perda considerável com esta colaboração", acrescentou.

O responsável iraniano anunciou, além disso, que sua organização enviará uma carta de protesto à Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e mensagens a outros museus para pedi-los a reconsiderar sua colaboração com o Museu Britânico.

O Cilindro de Ciro, um código de temática legal escrito com escrita cuneiforme, foi encontrado em 1879 em Esagila, lugar onde ficava o templo de Marduk, na Babilônia. EFE jm/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG