Irã rejeita relatório dos EUA sobre direitos humanos

Teerã, 1 mar (EFE).- O Irã rejeitou hoje o recente relatório sobre direitos humanos apresentado pelo departamento de Estado americano, e advertiu ao novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, sobre o perigo de cair em antigas políticas de confronto.

EFE |

"As acusações são uma repetição da política da Administração anterior em relação ao Irã e não refletem a opinião do resto do mundo", disse o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores iraniano, Hassan Qashqavi.

Esta semana, o departamento de Estado americano publicou seu estudo anual sobre direitos humanos, no qual acusou o Irã de limitar o direito de seus cidadãos a escolher um novo Governo através de eleições livres e limpas.

Além disso, afirmou que as forças de segurança iranianas abusam das detenções sem motivos e em muitas ocasiões recorrem à violência e à tortura.

Qashqavi disse hoje que após a experiência da prisão de Guantánamo, Washington não tem credibilidade para denunciar a tortura e defender aos direitos humanos.

"Os Estados Unidos, que são um dos principais violadores dos direitos humanos no mundo, não estão em posição de comentar sobre este assunto", acrescentou.

"Melhor seria que respondesse à preocupação da comunidade internacional sobre a deterioração dos direitos humanos no interior de suas próprias fronteiras, nos centros detenção da CIA por todo o mundo, nos voos sobre a Europa e nas prisões de Guantánamo e Bagram", disse. EFE jm-msh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG