Irã rejeita alerta francês sobre risco de ataque de Israel

TEERÃ (Reuters) - O Irã dispensou no sábado o alerta do presidente da França de que a república islâmica estaria assumindo um risco perigoso ao manter seu programa nuclear pois poderia ser alvo de um ataque de Israel. O porta-voz do governo iraniano, Gholamhossein Elham, acusou Israel de ameaçar a paz global, mas reiterou a visãoiraniana de que o país não está em condições de atacar o Irã.

Reuters |

Separadamente, um importante comandante da Guarda Revolucionária foi citado como tendo dito que novos mísseis de longo alcance aumentaram as capacidade de defesa do Irã.

'Hoje, o inimigo não ousa atacar o Irã, pois sabe que vai receber respostas fatais do Irã caso se aventure em um ato tão estúpido', disse Nour Ali Shoustari, segundo o canal iraniano Press TV.

As potências ocidentais acusam o Irã, quarto maior exportador de petróleo do mundo, de querer construir uma bomba atômica sob um programa nuclear civil. O Irã nega, dizendo que somente quer dominar a tecnologia atômica para gerar eletricidade.

Os Estados Unidos e Israel não descartam o uso da força militar caso a questão não seja resolvida por meios diplomáticos.

Durante uma visita a Damasco na quinta-feira, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, disse que o Irã 'assume um enorme risco ao continuar o processo de obter capacidade militar nuclear'. E acrescentou: 'Um dia.. Podemos descobrir, numa manhã, que Israel atacou'.

A rede estatal iraniana Irib disse que Eliam, o porta-voz do governo, respondeu à declaração de Sarkozy, dizendo:

'Essas ameaças são fruto de fraqueza... refletem a realidade e a natureza afoita por guerra do regime sionista'.

'Esse regime não é grande o suficiente e não desperta vontade de pensar em guerra com o Irã', acrescentou.

Ele disse ainda que Israel 'aproveita todas as chances que tem para ameaçar a segurança global e a paz'.

O Conselho de Segurança da ONU já impôs três rodadas de sanções contra o Irã devido à recusa em suspender o enriquecimento de urânio, processo que serve tanto para gerar energia quanto para produzir uma bomba.

Israel, que há muito tempo já assumiu ter um arsenal nuclear, jurou que impedirá que o Irã se transforme em uma potência nuclear.

O temor de um ataque israelense aumentou desde que a Força Aérea de Israel fez, em junho, um exercício que pode ter sido uma simulação de ataque contra o Irã. Teerã diz que pretende revidar caso seja atacado.

(Por Zahra Hosseinian)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG