Irã reitera disposição em dialogar com Ocidente sobre programa nuclear

Teerã, 3 ago (EFE).- O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, reiterou hoje, em entrevista coletiva conjunta com o chefe de Estado da Síria, Bashar al-Assad, a disposição de seu país em manter um diálogo com o Ocidente sobre o programa nuclear iraniano.

EFE |

Ahmadinejad expressou essa postura após assinar um acordo de cooperação bilateral com Assad, que iniciou neste sábado uma visita oficial de dois dias a Teerã.

"Estamos comprometidos com o diálogo e queremos que seja colocado em prática em acordo com as leis e acabe em resultados práticos", afirmou o presidente iraniano.

Além disso, disse que, à parte do diálogo, seu país ofereceu uma contraproposta ao pacote de incentivos entregue pelo Ocidente.

Ahmadinejad fez essas declarações um dia depois de afirmar durante uma entrevista com Assad que seu país "não renunciará nem a um ápice" a seu direito nuclear, informou hoje a agência de notícias "Irna".

A visita de dois dias de Assad a Teerã coincide com o fim de um prazo dado ao Irã para enviar uma resposta final a uma série de incentivos oferecidos por vários países ocidentais em troca da suspensão do programa de enriquecimento de urânio iraniano.

Os incentivos foram anunciados pelo grupo formado pelos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (Estados Unidos, Reino Unido, França, Rússia e China) além da Alemanha, países que supervisionam o desenvolvimento do programa nuclear iraniano.

A chegada de Assad a Teerã acontece depois de, no dia 12 de julho, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, pedir a Assad que convença o Irã a apresentar "provas" de que não tem intenção de fabricar armas nucleares.

Assad negou hoje, na entrevista coletiva, que sua visita tenha o objetivo de transmitir alguma mensagem do Ocidente ao Irã sobre suas atividades nucleares.

"Minha visita não é por causa do assunto nuclear, mas o assunto nuclear sempre faz parte de qualquer conversa com as autoridades iranianas", disse Assad.

O presidente sírio quis deixar claro que sua viagem ao Irã foi planejada independente de sua recente visita à França, mas reconheceu que esse país europeu pediu a ele que "desempenhasse um papel" na resolução do assunto nuclear iraniano.

Segundo Assad, esse papel se baseia nos acordos internacionais e na via do diálogo.

No entanto, sem mencionar nenhum país, Assad acrescentou que "é normal que perguntemos às autoridades iranianas sobre os detalhes de sua postura para responder a questões sobre o assunto nuclear". EFE msh/wr/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG