Irã registra nova onda de prissões de jornalistas e ativistas pró-reforma

TEERÃ - As forças de segurança iranianas detiveram nos últimos dias vários ativistas e jornalistas pró-reformistas, entre eles outro assessor próximo ao principal líder da oposição, Mir Hussein Moussavi.

EFE |

Segundo o site "Jaras", administrado pela oposição, policiais detiveram na quarta-feira passada Mohamad Reza Tajik, membro da plataforma eleitoral de Moussavi e ex-vice-presidente do escritório de estudos estratégicos da Presidência durante o mandato de Mohamad Khatami (1997-2005).

O site informou também da detenção do jornalista Ruzbeh Karimi e de sua esposa, a advogada Forugh Mirzai, ambos ativistas de direitos humanos.

Além disso, o jornal pró-reformista "Etemad" informou hoje sobre a detenção de uma de suas jornalistas, Mahsa Hekmat, detida na sexta-feira passada junto com seu pai, Ali Hekmat.

Além disso, foram detidos no sábado Parisa Kakai e Mehrdad Rahimi, membros do comitê dos informadores dos direitos humanos no Irã, acrescentou.

A nova onda de detenções de partidários da oposição começou pouco depois do funeral do grande aiatolá Hossein Ali Montazeri em 20 de dezembro, em Qom, e se intensificou após a violenta repressão dos protestos do dia da Ashura, na qual oito pessoas morreram, segundo números oficiais.

Moussavi publicou na sexta-feira passada um comunicado no qual afirmou que o Irã entrou em uma profunda crise e apresentou pontos para solucioná-la, entre eles a libertação dos presos políticos.

O comunicado recebeu a reação imediata do secretário do Conselho de Discernimento do Irã, o conservador Mohsen Rezaei, que o qualificou de "uma marcha à ré de Moussavi" e "uma oportunidade para pôr fim aos problemas".

Segundo Rezaei, candidato presidencial que também denunciou o resultado do pleito, Moussavi reconheceu o Governo de seu rival eleitoral, Mahmoud Ahmadinejad, ao afirmar que este deve responder perante o Parlamento e o Poder Judiciário pelos eventos pós-eleitorais.

Leia mais sobre: Irã

    Leia tudo sobre: irãprisão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG