Irã realiza novo teste com míssil de longo alcance

O Irã realizou novos testes com mísseis nesta quinta-feira, informaram militares iranianos. Os exercícios acontecem um dia depois que a Guarda Revolucionária Iraniana testou nove mísseis, entre eles o de longo alcance Shahab-3, com capacidade para atingir Israel.

BBC Brasil |

Ainda não há imagens do novo teste, que teria sido realizado durante a noite em um local perto do Golfo Pérsico.

Ainda segundo a TV iraniana, os exercícios envolveram mísseis de curto e longo alcance, o que leva a crer que os testes incluíram o Shahab-3.

Reação

Nesta quinta-feira, os Estados Unidos voltaram a dizer que não hesitarão em defender seus interesses e de seus aliados na região.

AP
Lançamentos deixaram os EUA "alertas"
A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, disse que os EUA reforçaram a segurança na região e que o Irã "não deve se confundir" sobre as capacidades americanas.

"Na região do Golfo, os Estados Unidos aumentaram sua capacidade de segurança, sua presença e estão trabalhando junto aos aliados para garantir que eles sejam capazes de se defender", disse a secretária.

Provocação

Os militares iranianos confirmaram os novos testes, que incluíram lançamentos terra-mar, terra-terra e mar-ar.

Segundo o correspondente da BBC em Teerã Jon Leyne, os novos lançamentos serão vistos como um outro gesto de provocação do Irã, depois que os Estados Unidos e Israel condenaram os testes realizados na quarta-feira.

Ainda segundo Leyne, não houve uma reação iraniana à resposta internacional e todos os jornais do país noticiaram os exercícios militares com um tom de orgulho.

Os novos testes ocorrem em meio à tensão crescente entre Irã, Israel e Estados Unidos, que pressionam a república islâmica a pôr fim a seu programa nuclear.

Segundo Leyne, os lançamentos têm sido um claro alerta do Irã.

"É uma resposta evidente a um exercício militar efetuado recentemente por Israel e que foi considerado como um ensaio para um possível ataque contra as instalações nucleares iranianas", disse o correspondente.

Na quarta-feira, o comandante da Força Aérea da Guarda Revolucionária Iraniana, Brig-Gen Hoseyn Salami, disse que o país está "pronto para defender a integridade da nação iraniana".

"Nossos mísseis estão prontos para serem disparados de qualquer lugar a qualquer momento, com rapidez e precisão", acrescentou Salami.

"O inimigo não deve repetir seus erros. Os alvos do inimigo estão sendo vigiados."

Sanções

Os dois dias de testes consecutivos ainda acontecem depois que o governo dos Estados Unidos impôs, na terça-feira, novas sanções financeiras a várias companhias e indivíduos iranianos, suspeitos de envolvimento com o programa nuclear do país.

Entre os afetados pelas sanções estão um cientista do ministério da Defesa iraniano, Mohsen Fakhrizadeh-Mahabadi, e três empresas que estariam associadas à indústria de armas.

Ainda na terça-feira, um alto clérigo iraniano disse que, caso o Irã seja atacado por causa de seu programa nuclear, o país vai retaliar com um ataque a Israel e a navios americanos no Golfo Pérsico.

"O primeiro tiro americano no Irã daria início a um incêndio em interesses vitais dos Estados Unidos no mundo", disse o clérigo Ali Shirazi, que é ligado ao aiatolá Ali Khamenei, o mais importante líder religioso do Irã.

leia mais sobre: Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG