Irã quer receber feridos de Gaza, diz Egito

TEERÃ (Reuters) - O Irã disse ao Egito que está preparado para atender vítimas dos ataques israelense à Faixa de Gaza, e busca autorização para instalar um hospital de campanha nos arredores, disse a chancelaria egípcia na segunda-feira. O governo iraniano condena Israel pelos ataques em Gaza, manifesta apoio ao grupo islâmico Hamas e critica o suposto silêncio de alguns países árabes.

Reuters |

O Egito, único Estado árabe que tem fronteiras com Gaza, tem sido alvo de protestos de radicais iranianos que acusam o Cairo de não se empenhar na ajuda aos palestinos. O Egito atribui a violência parcialmente ao Hamas, que governa a Faixa de Gaza, já que o grupo não renovou uma trégua com Israel, que expirou em dezembro.

O chanceler iraniano, Manouchehr Mottaki, escreveu no domingo ao seu colega egípcio apresentando a proposta do Irã de tratar os feridos de Gaza, disse o porta-voz Hassan Qashqavi em Teerã.

De acordo com ele, a carta manifestava "a disposição do Irã em receber e tratar os feridos nos hospitais".

Qashqavi disse ainda que a carta pedia também "a cooperação do Egito no estabelecimento de um hospital de campanha da República Islâmica (do Irã) e da sua equipe médica no ponto mais próximo de Gaza, sob recomendação do governo egípcio".

"Estamos aguardando uma resposta a essa solicitação", acrescentou.

Israel começou a bombardear a Faixa de Gaza no dia 27, em resposta aos disparos de foguetes contra suas cidades. No fim de semana, houve uma invasão terrestre. Mais de 500 palestinos já morreram, sendo pelo menos um quarto deles civis, segundo uma agência da ONU.

O Irã não reconhece o direito de Israel a existir e não tem relações plenas com o Egito, primeiro país árabe a ter assinado um tratado de paz com o Estado judeu.

O Egito eventualmente autoriza a passagem de feridos e de insumos hospitalares pela fronteira com Gaza, mas os deslocamentos comuns estão proibidos desde que o Hamas assumiu o controle do território palestino litorâneo, em 2007.

(Reportagem de Hossein Jaseb)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG