Irã qualifica de falsos os documentos publicados por jornal britânico

Teerã, 15 dez (EFE).- O Governo do Irã qualificou hoje de infundada a reportagem publicada na segunda-feira pelo jornal britânico The Times, que denunciava que o Irã estaria trabalhando no desenvolvimento de um componente-chave para a fabricação de bombas atômicas.

EFE |

Em sua entrevista coletiva semanal, o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, negou também as informações de que o cientista nuclear iraniano desaparecido há sete meses na Arábia Saudita tivesse se reunido na Alemanha com responsáveis da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Segundo Mehmanparast, os supostos documentos entregues pelos serviços secretos ao jornal britânico "não têm qualquer tipo de fundamento".

"Parece que este tipo de aproximação é utilizado por vários países para pressionar psicologicamente o Irã e fazer propaganda para a guerra. Esse tipo de declaração não merece atenção", disse.

O jornal britânico, com base nos citados documentos secretos, denunciou na segunda-feira que o regime iraniano está trabalhando em um plano destinado a testar um iniciador de nêutrons, componente da bomba nuclear capaz de originar a explosão.

Além disso, o "Times" citou fontes dos serviços de inteligência ocidentais que teriam afirmado que o Irã começou esses testes no início de 2007, quatro anos depois de que se acreditasse que tinha dado por encerrado seu programa nuclear militar.

O Irã nega a existência de um projeto bélico clandestino e afirma o único objetivo de seu programa nuclear é a geração de energia e o uso civil da mesma. EFE msh-jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG