Irã promete maior grau de enriquecimento de urânio no país

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, disse nesta quarta-feira que o país vai fazer o enriquecimento de urânio em um grau muito maior do que realiza atualmente para usá-lo como combustível nuclear. Anuncio aqui que, pela graça de Deus, a nação iraniana vai produzir combustível a 20% e tudo o que for preciso, afirmou Ahmadinejad em um discurso em Isfahan, no centro do país.

BBC Brasil |


Ele disse ainda que a decisão do Irã se deve ao fato de um acordo internacional para realizar o processo fora do país não ter avançado.

Em outubro, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) - o braço da ONU para assuntos nucleares - apresentou uma proposta para enriquecer na Rússia 70% do urânio com baixo grau de enriquecimento do Irã, devolvendo-o a Teerã para uso em um reator na capital iraniana.

Mas o governo iraniano rejeitou a ideia e sugeriu a troca do urânio por combustível nuclear dentro do território iraniano, algo rejeitado por vários países do Ocidente.

Novas usinas

No último domingo, Ahmadinejad havia anunciado que o Irã vai construir dez novas usinas de enriquecimento de urânio, o que especialistas internacionais consideram um feito difícil de ser alcançado. Segundo o Irã, as novas usinas teriam tamanho semelhante a que já existe em Natanz.

Na última sexta-feira, aprovou uma resolução criticando o Irã por não revelar a existência de uma usina de enriquecimento de urânio próximo à cidade de Qom.

Países do Ocidente, entre eles os Estados Unidos, dizem que o Irã quer desenvolver armas nucleares, mas o governo do país argumenta que seu programa tem fins pacíficos.

O analista de assuntos iranianos da BBC Jon Leyne disse que o anúncio deste domingo é um ato desafiador do governo iraniano e que deve atrair ainda mais polêmica para o assunto.

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: ahmadinejadirã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG