Irã proíbe contato com 60 organizações americanas e europeias

TEERÃ - O regime iraniano qualificou de inimigas 60 organizações internacionais e proibiu que seus cidadãos tivessem qualquer contato com eles, sob pena de serem punidos, informou hoje a televisão estatal.

EFE |

"Cooperar e assinar acordos com estas fundações e instituições que realizam uma 'revolução de veludo' contra o Irã é ilegal, e receber apoio delas é proibido", afirmou a fonte, que cita um alto responsável do Ministério de Inteligência iraniano.

A nota também pede aos iranianos que "evitem qualquer tipo de relação incomum com essas organizações e com embaixadas e estrangeiros".

"Os partidos políticos estão proibidos de receber financiamento externo", acrescentou, antes de acusar meios de comunicação estrangeiros, como a rede pública britânica "BBC" ou a televisão americana "Voice of America" de tentar ajudar nos esforços para derrubar o regime.

Entre as 60 organizações proibidas, a televisão estatal "PressTV" cita a Soros Foundation, a National Endowment for Democracy, a National Democratic Institute, a East European Democratic Centre, a Wilton Park, a Smith Richardson Foundation, e a United States National Defense University.

O Irã está em meio a uma grave crise política e social desde que, em junho, centenas de milhares de pessoas saíram às ruas do país para protestar contra a reeleição do presidente Mahmoud Ahmadinejad, que a oposição considera fruto de uma "fraude maciça".

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG