TEERÃ (Reuters) - O Irã informará em breve à agência nuclear da ONU sobre um cronograma para a inspeção da recém-revelada usina de enriquecimento de urânio, disse o chefe da agência atômica do país segundo uma TV local. A declaração de Ali Akbar Salehi, citada pela Press TV, foi feita na noite de segunda-feira, três dias antes da importante reunião do Irã com potências mundiais para discutir o programa nuclear do país.

"Sim, os inspetores virão inspecionar", disse Salehi, acrescentando que Teerã está em contato constante com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

"Estamos preparando um cronograma para a inspeção, e em breve escreveremos uma carta a eles sobre o local da instalação e outras (coisas)", disse ele, sem entrar em detalhes.

O Irã admitiu na semana passada que está construindo uma segunda usina de enriquecimento, ao sul de Teerã. Esse fato, mais um teste de mísseis no domingo e na segunda-feira, reforçou o sentido de urgência do encontro de quinta-feira em Genebra.

O presidente dos EUA, Barack Obama, exigiu mais transparência do Irã em seu programa nuclear, e um porta-voz da Casa Branca disse na segunda-feira que o país deveria garantir "acesso imediato e irrestrito" à nova instalação.

O Ocidente suspeita que o Irã tenha a intenção de desenvolver armas nucleares, apesar de a República Islâmica insistir que seu objetivo é apenas gerar eletricidade para fins civis. Teerã afirma que a nova usina é legal e será aberta à inspeção da ONU.

A Press TV, emissora estatal em língua inglesa, disse que Salehi afirmou que a usina está sendo construída sob o marco dos regulamentos da AIEA, e que "o Irã tomou todas as medidas de precaução para salvaguardar suas instalações nucleares".

"Salehi declarou que seu país irá tentar resolver a questão tanto política quanto tecnicamente com os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU, mais a Alemanha e a AIEA", disse a Press TV em seu site.

Essas seis potências participam da reunião de Genebra, que marca a retomada do diálogo em torno do programa nuclear, embora Teerã diga que não pretenda abrir mão de seus "direitos" à energia nuclear.

Ali Asghar Soltanieh, embaixador do Irã junto à AIEA, disse na segunda-feira à BBC que manteve duas reuniões com inspetores da AIEA, nas quais ficou decidido que os inspetores terão acesso à nova instalação "no futuro próximo". Ele não citou datas.

De acordo com a Press TV, Salehi reiterou o caráter pacífico do programa nuclear iraniano. "É contra nossos pilares, contra a nossa religião produzir, manter ou ter armas ou um arsenal nucleares, como podemos declarar mais claramente nossa posição? Desde 1974 temos dito isso."

(Reportagem de Fredrik Dahl)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.