Irã pede oportunidade para diplomacia e reitera oferta de troca nuclear

Teerã, 17 mar (EFE).- O presidente do Parlamento iraniano, Ali Larijani, defendeu hoje uma saída diplomática para o conflito nuclear entre o Irã e a comunidade internacional, ao passo que o país reiterou a disposição em comercializar urânio.

EFE |

Em entrevista coletiva oferecida na capital iraniana, o político conservador ressaltou que não existe consenso mundial sobre as sanções contra seu país e insistiu que elas serão inúteis.

"Não existe acordo sobre as medidas punitivas contra o Irã porque há diversas opiniões na cena internacional. As sanções são completamente inúteis", ressaltou Larijani.

Segundo ele, "o Irã acredita na capacidade da diplomacia para resolver o assunto".

As declarações do presidente do Parlamento coincidiram hoje com as palavras do diretor da Agência de Energia Atômica iraniana, Ali Akbar Salehi, que reiterou a oferta do Irã de troca nuclear, por meio do envio e recebimento de urânio.

Em declarações divulgadas pelo jornal local "Javan", Salehi indicou que seu país "está disposto a ceder os 1,2 mil quilos de urânio empobrecido em troca do combustível enriquecido para o reator de Teerã desde que a troca seja feita em nosso território".

A proposta já havia sido feita meses atrás, mas foi rejeitada pelas grandes potências mundiais.

"O que dizemos agora é que estamos preparados para enviar todo o urânio de uma vez, sob condição de que a troca seja feita no Irã e de forma simultânea. Podemos entregar 1,2 mil quilos de urânio empobrecido e receber 120 de urânio enriquecido a 20%", reiterou.

Muitas das grandes potências, entre elas os Estados Unidos, acusam o Irã de ocultar, sob seu programa nuclear civil, outro de natureza clandestina e ambições bélicas cujo objetivo seria adquirir armas atômicas. EFE jm/sa

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG