Irã pede aos EUA que mostrem sua vontade e ajudem a libertar diplomatas

Teerã, 13 fev (EFE).- O Irã pediu aos Estados Unidos que ajudem a libertar três diplomatas iranianos desaparecidos na cidade iraquiana de Erbil em 2007, como primeira mostra que sua vontade de mudança em relação a Teerã é sincera.

EFE |

"Os americanos falaram sobre mudanças e esperamos que assim aconteça uma rápida libertação de nossos diplomatas", disse na noite desta quinta-feira em Erbil o ministro iraniano de Assuntos Exteriores, Manouchehr Mottaki, citado pela imprensa local.

Forças americanas atacaram em 11 de janeiro de 2007 o consulado do Irã em Erbil, capital do Curdistão iraquiano, e detiveram a cinco diplomatas.

Dois deles foram libertados depois do que o Exército dos EUA denominou uma "ação rotineira", mas três continuam ainda retidos em um local desconhecido.

Washington e Teerã romperam seus laços diplomáticos em abril de 1980, após o ataque à embaixada americana na capital iraniana e o triunfo da revolução islâmica que derrubou ao último Xá da Pérsia, o pró-ocidental Mohamad Reza Pahlevi.

Esta semana, o novo presidente dos EUA, Barack Obama, voltou a reiterar seu desejo de abrir um novo capítulo com o Irã através de uma negociação direta. EFE jm/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG