Irã pede a países muçulmanos que exerçam pressão econômica sobre Israel

O Irã, que se apresenta como o principal defensor dos interesses dos palestinos, afirmou que os países muçulmanos devem pressionar Israel economicamente como retaliação à ofensiva militar na Faixa de Gaza.

AFP |

Em uma mensagem ao presidente argelino, Abdelaziz Bouteflika, o chefe de Estado iraniano, Mahmud Ahmadinejad, lançou um apelo aos "países muçulmanos independentes e livres", informou no domingo a agência argelina APS.

Até agora, os países árabes ignoraram o recado iraniano, o que levou o governo de Teerã a assumir a iniciativa, anunciando sanções contra empresas estrangeiras relacionadas ao Estado judaico.

Para Ahmadinejad, as nações árabes devem "coordenar suas ações em todos os setores políticos e econômicos contra os dirigentes sionistas criminosos para que lamentem seus atos selvagens".

Em seguida, para se certificar que sua mensagem não será desconsiderada, o presidente iraniano enviou 22 emissários a várias capitais árabes para transmiti-la pessoalmente.

Nesta segunda-feira, o jornal oficial Irã anunciou que o governo apresentará ao Parlamento um projeto de lei para sancionar "as empresas que investem nos territórios ocupados (Israel) ou que ajudem o regime sionista".

Os detalhes do projeto ainda não foram divulgados.

    Leia tudo sobre: faixa de gaza

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG