Irã liberta jornalista que trabalhava para diário dos EUA

TEERÃ - O Irã libertou o jornalista britânico de origem grega Iason Athanasiadis Foden, detido durante os protestos no país após a polêmica reeleição do atual presidente, Mahmoud Ahmadinejad, nas eleições de 12 de junho.

EFE |

A informação foi dada neste domingo, pelo porta-voz do Ministério de Relações Exteriores do Irã, Hassan Qashqavi, que, no entanto, evitou pronunciar o nome do repórter.

O funcionário se limitou a indicar que "um jornalista a quem se tinha retirado o credenciamento foi posto em liberdade graças aos esforços do embaixador iraniano na Grécia".

"Foi libertado hoje um jornalista que trabalhava em um meio americano e que tinha sido detido por atividades extrajornalísticas e por sua relação com os distúrbios", afirmou Qashqavi, citado pela agência de notícias "Isna".

A Embaixada da Grécia em Teerã tinha denunciado a detenção de Foden, repórter com passaporte grego e britânico que trabalha para o jornal "The Washington Times".

O jornalista tinha sido detido na mesma semana na qual as autoridades iranianas impuseram restrições de movimentos à imprensa internacional, à qual impediram a cobertura nas ruas das grandes manifestações contra o polêmico resultado eleitoral.

Além disso, o chefe da polícia iraniana, general Ismail Ahmadi Moghadam, disse neste domingo que dois terços das 1.032 pessoas detidas durante as semanas de distúrbios e protestos já foram libertadas.



Leia mais sobre Irã

EFE jm/an

    Leia tudo sobre: irãjornalistaprotesto

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG