Irã lança com sucesso vários mísseis de médio alcance

Redação Central, 27 set (EFE).- O Irã lançou na noite deste domingo noite vários mísseis de médio alcance Shahab-2 com sucesso, afirmou a Guarda Revolucionária, o corpo de elite do Exército iraniano.

EFE |

"Estes exercícios dão aos Guardiães da Revolução a oportunidade de alcançar alvos com mísseis em qualquer situação", disse o comandante-chefe da Força Aérea da Guarda Revolucionária, general Hussein Salami, citado pela rede de televisão estatal "Press TV".

Os mísseis Shahab-2 podem atingir objetivos em um raio de entre 300 e 700 quilômetros de distância.

Salami assinalou que estes lançamentos aconteceram durante o primeiro dia das manobras que seu batalhão aéreo iniciou neste domingo e que terão seu ponto culminante na manhã desta segunda-feira (hora local) quando serão feitos os testes com mísseis de longo alcance, tipo Shahab-3.

Estes projéteis são capazes de impactar a mais de 2.000 quilômetros de distância, acrescentou.

Durante os exercícios do domingo, a Guarda Revolucionária testou "com sucesso" um novo sistema múltiplo de lançamento de mísseis, aparentemente capaz de propulsionar projéteis de médio alcance de forma simultânea.

"O novo sistema é capaz de lançar de forma simultânea vários mísseis de fabricação nacional classe Zelzal. Foi testado com sucesso", explicou Salami.

Os exercícios também incluíram o lançamento em várias partes do país de outro tipo de mísseis de fabricação nacional como o Fateh-110, um terra-terra de curto alcance, e o Tonda-69, igualmente de curto alcance, mas específico para navios de guerra.

"O principal objetivo destas práticas é avaliar o grau de desenvolvimento técnico que o Irã alcançou recentemente em seu programa de mísseis de superfície", disse Salami.

O Irã está sujeito a um embargo armamentístico internacional desde que na década de 80 travou uma longa e infrutífera guerra fronteiriça com o Iraque.

Mesmo assim, desde 1992 conseguiu iniciar um programa bélico próprio que lhe permitiu modernizar seu Exército, e especialmente a Guarda Revolucionária. EFE rma/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG