Irã: Khatami afirma que julgamento de manifestantes vai contra Constituição

O ex-presidente reformista iraniano Mohamad Khatami denunciou neste domingo que o julgamento de cem manifestantes acusados de participar dos protestos contra a reeleição do presidente, Mahmud Ahmadinejad, fere a letra da Constituição do país.

AFP |

"Até onde sei, o que aconteceu ontem (sábado) vai contra a Constituição, a lei e os direitos dos cidadãos", declarou Khatami durante uma reunião com dirigentes políticos e deputados, segundo um comunicado divulgado neste domingo por seu gabinete.

"Este tipo de ato é, acima de tudo, contrário aos interesses do regime e afeta a confiança da opinião pública", acrescentou.

Khatami também afirmou que o tribunal estava se baseando em "confissões obtidas sob certas condições que não são válidas".

"O maior problema com este processo judicial é que não foi feito a portas abertas. Os advogados e acusados não foram informados sobre o conteúdo dos autos antes do julgamento", afirmou.

"Não acredito que o chefe da autoridade judicial, o aiatolá (Mahmud Hachemi) Chahrudi, esteja de acordo com o que ocorreu", estimou Khatami.

O tribunal revolucionário de Teerã começou no sábado a julgar uma centena de pessoas, entre as quais há várias figuras do campo reformista, acusadas de participar das manifestações que mobilizaram milhões de iranianos revoltados com as denúncias de fraude após as eleições presidenciais de 12 de junho.

Alguns meios oficiais iranianos tiveram acesso à audiência, mas o mesmo não ocorreu com nenhum outro veículo da imprensa.

bur/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG