Irã insiste em que enviou lista com nomes de israelenses à Interpol

Teerã, 5 mar (EFE).- O procurador-geral de Teerã, Said Mortazavi, insistiu hoje em que a Justiça iraniana entregou à Interpol listas com os nomes de vários militares e políticos israelenses aos quais acusa de crimes de guerra e genocídio do povo palestino.

EFE |

"A Procuradoria de Teerã completou os expedientes de 15 destes criminosos e os entregou à Interpol para que proceda sua detenção", disse Mortazavi.

"Esperamos que, com a atuação a tempo dos 186 países-membros da Interpol, sejam detidos estes criminosos ao saírem de seu país", afirmou Mortazavi, durante seu discurso em uma conferência sobre os palestinos promovida por Teerã.

Mortazavi acrescentou que seu país estuda também o caso de mais 100 israelenses que teriam participado de massacres contra o povo palestino durante a recente ofensiva contra Gaza.

"Milhares de grupos palestinos, diferentes ONGs e o embaixador palestino no Irã apresentaram denúncias (contra os israelenses) perante os tribunais iranianos", continuou.

O Irã anunciou na segunda-feira que tinha enviado uma lista com 15 nomes de responsáveis israelenses, entre eles o atual primeiro-ministro, Ehud Olmert, e os ministros da Defesa, Ehud Barack, e de Exteriores, Tzipi Livni, à Interpol para detenção.

A organização policial internacional negou, no entanto, ter recebido esse requerimento. EFE msh-jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG