Irã insiste em enriquecimento de urânio contínuo

Por Zahra Hosseinian e Hashem Kalantari TEERÃ (Reuters) - O Irã descarta a possibilidade de suspender seu enriquecimento de urânio, disse neste sábado o enviado do país à agência nuclear da Organização das Nações Unidas, apesar de algumas potências mundiais terem oferecido incentivos econômicos para persuadir Teerã a interromper tais atividades.

Reuters |

A república islâmica também pareceu descartar qualquer sugestão de encerrar o trabalho nuclear, que o país alega ser feito para gerar energia, mas que o Ocidente suspeita que tem como finalidade a construção de bombas.

Seis potências mundiais, incluindo os Estados Unidos, ofereceram ajuda ao Irã na última semana no desenvolvimento de um programa nuclear civil e outros benefícios em seu último esforço para resolver uma longa contenda que tem contribuído para elevar o preço do petróleo a patamares recordes.

O negociador chefe do Irã para a questão nuclear disse que Teerã está pronto para iniciar negociações 'baseadas no princípio do ganha-ganha', disse a agência oficial IRNA. Mas o país não vai 'se submeter a demandas ilógicas que o prive de seus direitos de continuar com suas atividades nucleares pacíficas', acrescentou Saeed Jalili.

Os Estados Unidos afirmam estar focados em exercer pressão diplomática para frustrar as ambições nucleares de Teerã, mas não descartaram uma ação militar como último recurso.

O chefe da agência nuclear da ONU, Mohamad ElBaradei, alertou na sexta-feira que um ataque militar ao Irã tornaria o Oriente Médio uma 'bola de fogo'.

Diplomatas afirmaram na sexta-feira que seis grandes potências ofereceram ao Irã conversas preliminares sobre seu programa nuclear na condição de que o país limite o enriquecimento a níveis normais por seis semanas, em troca de paralisar medidas que levariam a sanções mais severas.

Eles disseram que o chefe de política externa da União Européia, Javier Solana, apresentou a proposta durante conversas em Teerã em 14 de junho, nas quais ele apresentou um novo pacote de incentivos para o Irã parar de desenvolver tecnologias que possam levar à produção de bombas atômicas.

Perguntado se essa proposta seria aceitável para o Irã, o porta-voz do governo, Gholamhossein Elham, disse aos repórteres: 'Sobre suspensão, foi dito que a suspensão de atividades e a suspensão do enriquecimento não é um assunto lógico que seria aceitável e que, de qualquer forma, a continuidade das negociações não seria baseada na suspensão do enriquecimento.'

O Irã repetidamente rejeitou as precondições de seis países de uma suspensão total das atividades relacionadas ao enriquecimento nas negociações para implementar os incentivos, que incluem apoio para desenvolver um programa nuclear civil.

O Irã diz que irá rever a oferta de Estados Unidos, Rússia, China, Grã-Bretanha, França e Alemanha, mas que não interromperá o enriquecimento de urânio. Essa recusa levou a três rodadas de sanções limitadas da ONU desde 2006.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG