Irã impedirá qualquer ataque, garante Ahmadinejad

Por Zahra Hosseinian TEERÃ (Reuters) - O Irã impedirá qualquer ataque ao país antes que possam puxar o gatilho, e as sanções impostas para isolar a República Islâmica não funcionaram, disse o presidente iraniano, Mahmud Ahmadinejad, em uma parada militar neste domingo.

Reuters |

Os Estados Unidos e seus aliados estão procurando aumentar as sanções da ONU contra o Irã por causa de seu questionado plano nuclear, que o Ocidente vê como um pretexto para construção de armas nucleares. O Irã nega que tenha essa intenção.

Está havendo especulações persistentes de que os EUA ou Israel poderiam atacar as instalações nucleares do Irã, já que nenhum desses países descartou a possibilidade de uma ação militar se os esforços diplomáticos fracassarem.

'Se alguém ousar romper os limites da nação iraniana, a terra sagrada da nação iraniana e os interesses legais do Irã, nossas forças armadas... vão quebrar sua mão antes que ele possa puxar o gatilho', disse Ahmadinejad.

Ele fez a declaração durante uma parada militar transmitida pela televisão estatal para marcar o início da Guerra Irã-Iraque, em setembro de 1980.

Centenas de soldados marcharam diante da tribuna do governo, seguidos pelo desfile de carros e equipamentos militares, incluindo o míssil Shahab-3, que os comentaristas da TV disseram ter um alcance de 2.000 quilômetros, o que coloca Israel em seu raio de ação.

Os caminhões passavam por grandes cartazez onde estava escrito 'Abaixo Israel' e 'Abaixo os EUA'. Também foram exibidos os mísseis Ghadr e Shahab de mais curta distância, aviões não tripulados, foguetes e artilharia.

O Irã desconsidera os relatos sobre uma possível ação militar dos EUA ou Israel contra o país, mas diz que se isso acontecer responderá com ataques a Israel e aos interesses norte-americanos.

'Hoje, o Irã não está em uma posição de mostrar nem mesmo a menor flexibilidade contra o acosso dos inimigos. A história tem mostrado que aqueles que desejam o mal ao Irã nada ganharão, a não ser lamentos', disse ele.

'Os inimigos da humanidade imaginaram que com um ataque militar e sanções econômicas e científicas poderiam esmagar nossa revolução e nossa nação', disse ele, acrescentando que os inimigos do Irã 'perderam a esperança'.

Analistas dizem que os EUA poderiam despejar poder de fogo muito superior em qualquer ataque ao Irã, mas o Estado islâmico poderia revidar atacando interesses norte-americanos no Golfo, região rica em petróleo, e nos países vizinhos, incluindo o Iraque.

Ahmadinejad disse que apesar das sanções, o Irã conseguiu ampliar sua habilidade de produzir armamento.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG