Irã: governo proíbe atos em memória de aiatolá dissidente Montazeri

As autoridades iranianas proibiram quase todas as cerimônias em memória do grande aiatolá dissidente Hosein Ali Montazeri, morto na semana passada, anunciou nesta quinta-feira o site dos parlamentares iranianos da oposição reformista.

AFP |

Segundo o site Parlemannews.ir, a proibição foi estabelecida todo o país, com excessão das cidades de Qom, onde Montazeri morava, e Najafabad (centro), onde nasceu.

A proibição não foi anunciada oficialmente, mas já provocou o cancelamento de várias manifestações em memória do aiatolá dissidente.

Os funerais de Montazeri levaram milhares de pessoas às ruas de Qom (sul de Teerã) na última segunda-feira, e terminaram com um grande protesto contra o governo do presidente Mahmud Ahmadinejad.

Na quarta-feira, mais de 50 pessoas foram detidas e várias ficaram feridas em enfrentamentos com a polícia iraniana, que reprimiu uma cerimônia em memória de Montazeri em uma mesquita de Ispahan (centro), segundo sites da oposição.

Montazeri foi o sucessor designado do fundador da República Islâmica em 1979, o aiatolá Khomeini, mas em 1989 caiu em desgraça devido às críticas que fez contra o endurecimento progressivo do regime. Nos últimos meses, foi uma das principais figuras a denunciar fraudes na reeleição de Ahmadinejad.

bur-lma/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG