Suposto atentado a bomba que seria realizado em Teerã pelo grupo opositor no exílio "Mujahedin Khalq" (Combatentes do Povo)

O ministro de Inteligência do Irã, Heydar Moslehi, afirmou que os serviços secretos do país interceptaram uma suposta tentativa de atentado a bomba que seria realizado em Teerã pelo grupo opositor no exílio "Mujahedin Khalq" (Combatentes do Povo).

Moslehi afirmou que, durante a operação, foi detido um número ainda não determinado de membros da organização armada, que se opõe ao regime iraniano desde a década de 80.

"Este grupo terrorista planejava atentar com bomba em várias praças de Teerã. Pretendia aterrorizar a população inocente em vários distritos importantes", explicou o Moslehi, citado pela televisão estatal em inglês.

O ministro, que não destacou quando foram detidos os supostos terroristas, voltou a acusar os Estados Unidos, o Reino Unido e a Suécia de apoiarem as atividades do grupo.

Além disso, assinalou que os supostos terroristas tinham recebido treinamento militar no Iraque e que planejavam ainda criar confusão incendiando automóveis de Polícia e motocicletas.

Fundado na década de 70, o Mujahedin Khalq foi amparado após o triunfo da revolução islâmica em 1979 no Iraque, desde onde realizaram vários ataques contra o novo regime iraniano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.