Irã expande seu programa nuclear, diz AIEA

Segundo documento oficial, até o início de abril Teerã tinha pelo menos 5,7 quilos de urânio altamente enriquecido

iG São Paulo |

O Irã está preparando um equipamento extra para enriquecer urânio em grau mais elevado, mas permitiu que inspetores da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) tivessem acesso maior à instalação, aponta um relatório confidencial da agência de inspeção nuclear da ONU obtido pela Reuters.

O Irã informou à AIEA que as máquinas extras, que ainda não estão operando, darão suporte ao trabalho de refinar urânio a 20%. O relatório também afirma que a AIEA segue preocupada com o trabalho em andamento no Irã para desenvolver carga nuclear útil para um míssil.

Segundo a AFP, o Irã produziu ao menos 5,7 quilos de urânio altamente enriquecido até o início de abril, um material que Teerã afirma ser destinado a seu reator nuclear de pesquisas, segundo o mesmo documento confidencial da AIEA.

"Em 7 de abril de 2010, o Irã retirou 5,7 quilos de hexafluoruro de urânio (UF6) da primeira cascata" de seu projeto piloto de enriquecimento em Natanz, informou o documento da AIEA. "Segundo o Irã, esse UF6 foi enriquecido a 19,7%", afirma o documento.

De acordo com um diplomata de alto escalão vinculado às inspeções realizadas pela AIEA na República Islâmica, o total de urânio altamente enriquecido do qual o Irã dispõe atualmente é muito maior. "Os 5,7 quilos eram no início de abril. Mas, desde então, o Irã continuou produzindo, e portanto, tem mais", afirmou o diplomata sob condição de anonimato.

O Irã afirma que utiliza o urânio enriquecido como combustível para um reator de pesquisas com o objetivo de poder produzir radioisótopos médicos.

As conclusões da AIEA devem aumentar as preocupações das potências ocidentais de que o Irã está tentando secretamente desenvolver armas nucleares por meio de seu programa atômico. Teerã nega a acusação e diz que seu programa é para fins pacíficos.

De acordo com as estimativas da AIEA indicadas pelo diplomata, os iranianos estão produzindo em torno de 100 gramas diários de urânio altamente enriquecido.

*Com Reuters e AFP

    Leia tudo sobre: Armas nuclearesEUAIrãprograma nuclearBrasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG