O presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, exigiu nesta segunda-feira que um organismo independente fixe um calendário preciso para a eliminação de todas as armas nucleares, durante a conferência da ONU sobre o Tratado de Não Proliferação nuclear (TNP)." /

O presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, exigiu nesta segunda-feira que um organismo independente fixe um calendário preciso para a eliminação de todas as armas nucleares, durante a conferência da ONU sobre o Tratado de Não Proliferação nuclear (TNP)." /

Irã exige calendário preciso para eliminar armas nucleares

O presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, exigiu nesta segunda-feira que um organismo independente fixe um calendário preciso para a eliminação de todas as armas nucleares, durante a conferência da ONU sobre o Tratado de Não Proliferação nuclear (TNP).

AFP |

O presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, exigiu nesta segunda-feira que um organismo independente fixe um calendário preciso para a eliminação de todas as armas nucleares, durante a conferência da ONU sobre o Tratado de Não Proliferação nuclear (TNP).

Além disso, Ahmadinejad pediu a suspensão dos Estados Unidos da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), órgão responsável por supervisionar e regulamentar as atividades nucleares no mundo.

Durante o encontro, solicitou "a criação de um grupo internacional independente, tendo autoridade a partir da conferência".

"Este grupo", disse, "deveria fixar um prazo para a eliminação total das armas nucleares, com um calendário preciso".

Também exortou a "suspensão dos membros do conselho de governadores da AIEA que utilizam ou ameaçam utilizar armas nucleares".

"Como os Estados Unidos podem integrar a junta de governadores quando utilizaram bombas atômicas contra o Japão?", perguntou o presidente iraniano em um discurso de 35 minutos, no qual também acusou Washington de usar armas com urânio enriquecido durante a guerra do Iraque.

Sua intervenção no anfiteatro da Assembleia Geral da ONU foi marcada por uma longa crítica contra os países com armas nucleares, incluindo os Estados Unidos, a quem acusou de "ameaçar" Estados que não as têm.

A explanação de Ahmadinejad provocou a saída de muitas delegações. Representantes dos Estados Unidos, França, Grã-Bretanha, Alemanha, Finlândia e Marrocos, em particular, retiraram-se da sala durante seu discurso.

hc/ds/ma

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG