Um iraniano de 17 anos, considerado culpado de assassinato, foi enforcado na terça-feira no Irã, em violação a duas convenções internacionais que Teerã assinou há alguns anos.

Mohammad Hassan Zadeh, condenado pelo assassinato de um menino de 10 anos em 2006, foi enforcado na prisão de Sanandaj (oeste), informa o jornal Kargozaran.

O Irã aderiu ao Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos em 1976 e à Convenção sobre os Direitos da Criança em 1994. Nos dois tratados o país se comprometeu a não aplicar a pena de morte em um condenado menor de idade no momento do crime pelo qual é acusado.

O presidente do Poder Judiciário iraniano, o aiatolá Mahmud Hachemi Shahrudi, havia advertido o tribunal que pronunciou a sentença para que "conciliasse" as situações.

No Irã, um condenado a morte pode escapar da pena capital se a família da vítima perdoar o réu, em troca de uma compensação financeira ou uma pena de prisão.

De acordo com um balanço da AFP a partir de informações divulgadas pela imprensa, o Irã já executou 110 pessoas em 2008.

Segundo a Anistia Internacional, o Irã só fica atrás da China em número de executados por ano.

Leia mais sobre: Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.