Irã executa 29 pessoas condenadas em Teerã--mídia

TEERÃ (Reuters) - O Irã executou 29 traficantes de drogas condenados e outros criminosos na prisão de Evin, em Teerã, ao amanhecer de domingo, divulgou a mídia estatal, após uma forte operação contra o crime na República Islâmica. Todas as execuções de domingo aconteceram às 5h10 (horário local), de acordo com a emissora estatal IRIB. Execuções de várias pessoas ao mesmo tempo são normalmente divulgadas, mas raramente de um grupo desse tamanho.

Reuters |

O Irã é muitas vezes acusado de abusos dos direitos humanos por grupos de defesa e governos ocidentais, apesar de Teerã minimizar as críticas e acusar o Ocidente de hipocrisia.

'Os 29 que foram executados esta manhã estavam envolvidos em contrabando de narcóticos em larga escala, crime organizado, assassinato e roubo a mão armada', disse o promotor de Teerã Saeed Mortazavi segundo a rádio estatal.

Nas últimas semanas a polícia prendeu dezenas de pessoas em uma nova ação contra 'comportamento imoral' no Irã, país que a Anistia Internacional listou como o segundo que mais executou pessoas em 2007, depois da China.

'Esperamos que Teerã se torne o local mais inseguro para traficantes de drogas, assassinos e arruaceiros, além de violadores da honra das pessoas', disse Mortazavi.

O IRIB afirmou que eles 'tinham contrabandeado milhares de quilos de narcóticos no país e para fora do país' e que alguns também foram condenados por estupro, assassinato, roubo a mão armada e 'e por prejudicar a segurança e paz públicas'.

Assassinato, adultério, estupro, roubo a mão armada, apostasia e tráfico de drogas são atitudes passíveis de serem punidas com a morte de acordo com a lei sharia do Irã, em vigor desde a revolução islâmica de 1979.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG