Irã está pronto para negociações nucleares, diz Ahmadinejad

Presidente, porém, reitera que sanções não forçarão país a render-se às reivindicações do Ocidente sobre seu programa nuclear

iG São Paulo |

AP
Presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, faz o sinal da vitória depois de desembarcar no aeroporto internacional de Havana, Cuba, em 11/1
O presidente do Irã, Mahmud Ahmadinejad, disse que o Irã está pronto para retomar as negociações nucleares com as potências mundiais. A declaração foi feita em Kerman, sudeste do Irã, em meio ao aumento de sanções cujo objetivo é forçar Teerã a amplamente diminuir seu programa nuclear.

Aumento da pressão: União Europeia anuncia embargo ao petróleo do Irã

Punição: Saiba quais são as principais sanções internacionais contra o Irã

Ahmadinejad, entretanto, disse que as sanções não forçarão o Irã a capitular às reivindicações do Ocidente, incluindo abrir mão do enriquecimento de urânio - que levou ao fracasso do diálogo no ano passado.

Os EUA e seus aliados querem que a República Islâmica suspenda essa atividade por temer que possa eventualmente produzir um material para ser usado em armas. O Irã diz que seu programa tem propósitos pacíficos - produzir eletricidade e material médico para tratar pacientes com câncer.

Os 27 membros da União Europeia (UE) impuseram um embargo de petróleo contra o Irã na segunda-feira como parte das sanções para pressionar o país persa a retomar as negociações sobre seu programa atômicos. A medida se segue à ação dos EUA de também limitar a habilidade do Irã de vender petróleo , que corresponde a 80% de sua renda externa.

Ainda não há uma data para a possível retomada do diálogo entre o Irã e os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha. As negociações acabaram em um impasse em janeiro de 2011 , e o Irã mais tarde rejeitou um plano de vender seu estoque de urânio de baixo enriquecimento ao exterior em troca por barras de combustível para uso em reatores.

O Irã previamente havia indicado estar pronto para uma nova rodada de negociações, com Ahmadinejad sendo a autoridade de mais alta hierarquia a fazer a oferta. Nesta quinta-feira, Ahmadinejad acusou o Ocidente de tentar adiar as negociações como uma forma de reprimir ainda mais o país.

"É você que inventa desculpas a todo o momento e emite resoluções de véspera como uma forma de frustrar as negociações", disse Ahmadinejad em discurso. "Por que deveríamos evitar o diálogo? Por que e como alguém que tem lógica e está certo evitaria negociações? É evidente que aqueles que recorrem à coerção se opõem a negociações e sempre trazem pretextos e nos culpam."

Uma equipe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) da ONU deve visitar Teerã no sábado, a primeira missão desse tipo desde um relatório de novembro que indicou que o Irã conduziu testes secretos relativos a armas, ficando perto de desenvolver uma arma nuclear .

Objetivo militar: Irã trabalha para ter armas nucleares, diz agência da ONU

No início deste mês, o Irã começou a enriquecer urânio em um local subterrâneo construído para possivelmente evitar ataques aéreos, em uma outra mostra de desafio contra a pressão Ocidental para controlar seu programa atômico.

Centrífugas na instalação parecida com um bunker de Fordo, perto da cidade sagrada de Qom, estão produzindo urânio enriquecido a 20%. O nível é mais alto do que os 3,5% sendo enriquecido na principal planta de Natanz, no centro do Irã, e pode ser transformado em material para uma ogiva de forma mas rápida e com menos trabalho.

O Irã diz que não desistirá do enriquecimento de urânio e de produzir combustível nuclear, mas ofereceu permitir a entrada de inspetores da AIEA em suas instalações para assegurar que seu programa nuclear não será usado para fins militares.

AP
Foto de satélite de 26/9/2009 divulgada pelo GeoEye mostra instalação de Fordo sob construção dentro de montanha perto de Qom, Irã
Ahmadinejad também disse que as sanções e o embargo de petróleo fracassarão porque o país tem um comércio pequeno com a UE.

"Os americanos não compraram petróleo do Irã por 30 anos. Nosso Banco Central não tem acordos com eles; nosso comércio externo total é de cerca de US$ 200 bilhões. Entre US$ 23 bilhões e US$ 24 bilhões de nosso comércio é com os europeus, representando cerca de 10% de nosso comércio total. O Irã não sofrerá", disse Ahmadinejad.

A UE vinha importando 450 mil barris de petróleo por dia do Irã, correspondendo a 10% das exportações de petróleo do país.regionais".

*Com AP

    Leia tudo sobre: irãprograma nuclearahmadinejadueeuasançõesaiea

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG