Irã é o principal Estado terrorista; Al-Qaeda, a ameaça n°1 (Washington)

O Irã ainda é o Estado terrorista mais ativo do mundo, enquanto a rede Al-Qaeda, que se reconstitui nas zonas tribais do Paquistão, mantém-se como a ameaça terrorista número um, segundo um relatório do Departamento de Estado americano divulgado nesta quinta-feira.

AFP |

A lista negra dos Estados que apóiam os movimentos terroristas, divulgada anualmente nesse relatório, foi reduzida a quatro em 2008, após a decisão do governo Bush de retirar a Coreia do Norte, em outubro.

Além do Irã, ela inclui também a Síria, Cuba e o Sudão.

"O Irã continua sendo o mais ativo dos Estados que apóiam movimentos terroristas", diz o documento divulgado pelo Departamento de Estado americano.

A autoridade de Relações Exteriores dos Estados Unidos menciona, principalmente, o apoio concedido pela força Al-Qods, unidade de elite dos Guardiões da Revolução iranianos, ao movimento radical palestino Hamas, ao Hezbollah libanês, aos extremistas do Iraque e aos talibãs, no Afeganistão.

Cuba permanece nesta lista negra porque seu governo continua a conceder asilo a militantes de grupos considerados terroristas por Washington. O relatório indica, no entanto, que "os Estados Unidos não constataram sinal algum de financiamento por Cuba de atividades terroristas ou de lavagem de dinheiro com fins terroristas.

A Síria é também denunciada por seu apoio financeiro ao Hezbollah e aos movimentos palestinos que se opõem ao processo de paz, e por suas relações próximas com o Irã.

Mas os militantes da Al-Qaeda no Magreb Islâmico (AQMI), braço norte-africano da rede terrorista de Osama bin Laden, "ainda vivem no Sudão", assim como membros da Jihad Islâmica e do Hamas palestinos, indica o relatório.

O documento, que examina também a evolução anual das ameaças terroristas provenientes de atores não-estáticos, manteve a rede terrorista Al-Qaeda, de Osama bin Laden, como a maior das ameaças à segurança mundial.

"A Al-Qaeda e suas redes afiliadas continuaram a perder terreno, tanto estruturalmente quanto na opinião pública mundial, mas continua sendo a ameaça terrorista mais grave para os Estados Unidos e seus parceiros em 2008", indica o documento.

O número de atos terroristas registrados pelo Centro Nacional Americano de Contraterrorismo (NCTC) caiu para 11.770 em 2008 contra 14.506 no ano anterior. No Paquistão, "o número de atentados mais que dobrou em 2008", indica o relatório.

sl/dm/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG