TEERÃ - O Ministério da Inteligência do Irã disse ter descoberto uma conspiração terrorista com ligações estrangeiras para explodir bombas em mesquitas e outros locais movimentados de Teerã durante a eleição presidencial do país, ocorrida em 12 de junho.


Nesta quinta-feira, a transmissora estatal IRIB divulgou um comunicado do ministério segundo o qual diversos grupos terroristas foram descobertos, acrescentando que eles estavam associados a inimigos estrangeiros do Irã, incluindo Israel.

"Integrantes de uma das redes descobertas planejavam colocar bombas no dia da eleição em vários pontos movimentados de Teerã, incluindo as mesquitas Ershad e Al-Nabi", dizia o comunicado, referindo-se a duas importantes mesquitas da capital.

O comunicado disse que o complô foi descoberto no dia da eleição. Com frequência, o Irã acusa Israel e Estados Unidos de tentar desestabilizar a república islâmica.

Resultados oficiais da eleição de sexta-feira passada indicaram que o presidente Mahmoud Ahmadinejad obteve uma vitória esmagadora, o que gerou protestos por parte dos partidários do candidato derrotado, o moderado Mirhossein Mousavi, que busca melhorar as relações com o Ocidente.

Análises:

Leia também:

Leia mais sobre Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.