Irã diz que vai processar EUA e Grã-Bretanha por explosão

TEERÃ (Reuters) - O Poder Judiciário do Irã disse na segunda-feira que vai abrir um processo internacional contra Estados Unidos e Grã-Bretanha, acusados por autoridades iranianas de dar suporte financeiro aos responsáveis por uma explosão que matou 14 pessoas em uma mesquita. O ministro da Inteligência iraniano disse na semana passada que o Irã prendeu cinco ou seis membros de um grupo terrorista ligado aos dois países. A explosão matou 14 pessoas e feriu outras 200 na cidade de Shiraz.

Reuters |

Autoridades iranianas já haviam dito que a explosão do dia 12 de abril, ocorrida durante um sermão de um importante clérigo local, foi causada por explosivos deixados numa exposição que relembrava a guerra Irã-Iraque (1980-88).

O porta-voz do Judiciário, Ali-Reza Jamshidi, afirmou à televisão estatal que os terroristas responsáveis pelo ataque eram agentes dos governos norte-americano e britânico no Irã.

'A relação daqueles que plantaram as bombas em Shiraz com os EUA e a Grã-Bretanha foram identificadas. Eles tinham apoio financeiro e, de fato, agiam como agentes internacionais no Irã', disse.

'Diante dos documentos obtidos, o Judiciário, em colaboração com o governo e com o Ministério das Relações Exteriores, vai abrir um processo com autoridades internacionais contra os apoiadores, que, ao mesmo tempo em que dizem combater o terrorismo, também fornecem equipamentos a eles', disse o porta-voz.

Ele se referia claramente à Grã-Bretanha e aos EUA, mas não deu detalhes sobre como Teerã vai entrar com uma ação legal contra eles.

O Irã já acusou os dois países de tentar desestabilizar a república islâmica ao dar apoio a rebeldes, principalmente nas conturbadas áreas de fronteira.

As acusações de Irã reproduzem as feitas por autoridades norte-americanas, que dizem que o Irã apóia as milícias xiitas que lutam contra as forças de segurança iraquianas e norte-americanas no Iraque. Teerã nega.

O Irã e os EUA também têm desentendimentos quanto ao programa nuclear iraniano --Washington suspeita que ele tenha o objetivo de fabricar bombas. Irã diz que ele serve para produzir energia.

O esquema de segurança é normalmente severo no Irã, por isso os ataques a bomba foram raros nos últimos anos. Várias pessoas foram mortas em 2005 e 2006 em explosões no sul do país, que tem uma ampla população sunita, minoria no Irã.

Shiraz é uma cidade turística com mais de um milhão de habitantes.

(Reportagem de Hossein Jaseb e Hashem Kalantari)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG