Irã diz que produziu 17 quilos de urânio enriquecido a 20%

Atividades iranianas de enriquecimento de urânio estão no centro de um impasse com o Ocidente

iG São Paulo |

O Irã enriqueceu 17 quilos de urânio a 20%, disse uma autoridade iraniana de primeiro escalão nesta quarta-feira, numa demonstração da determinação do país de seguir adiante com seu programa nuclear, apesar da imposição de novas sanções internacionais .

As atividades iranianas de enriquecimento de urânio estão no centro de um impasse com o Ocidente, que teme que a República Islâmica esteja buscando a fabricação de armas. Há duas semanas, o Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) concordou em impor uma quarta rodada de sanções ao Irã.

O país começou a enriquecer urânio a 20% de pureza - contra 5% anteriormente-- em fevereiro, sob a alegação de que precisava fabricar combustível para um reator médico.

O anúncio alarmou o Ocidente, que o viu como um passo na produção de urânio que pode ser usado em armas, que é enriquecido em 90%. O Irã afirma que seu programa nuclear é puramente pacífico e tem objetivo de geração de eletricidade.

"Já produzimos 17 quilos de urânio enriquecido em 20%, e temos capacidade de produzir 5 quilos a cada mês, mas não temos pressa", disse Ali Akbar Salehi, chefe da Organização de Energia Atômica do Irã, segundo a agência de notícias ISNA.

"Não queremos produzir nada que não precisamos e não queremos converter toda nossa reserva de urânio para 20%, então produzimos urânio enriquecido em 20% de acordo com nossas necessidades", disse.

Enriquecimento de urânio

O enriquecimento de urânio permite a produção de combustível para alimentar uma central nuclear, assim como material para a carga de fissão de uma bomba atômica.

Inicialmente, o urânio é extraído de pedreiras ou de minas. Ele não é encontrado em sua forma natural, mas misturado a outros elementos diferentes. O mineral bruto contém apenas 0,3% de urânio.

Em seguida, o urânio é separado dos outros elementos minerais e o que sobra é o óxido de urânio, conhecido como "yellow cake" ("bolo amarelo", em tradução literal). Depois, o óxido de urânio é convertido em um composto gasoso, o hexafluorido de urânio. Para ser enriquecido e transformado em combustível, o hexafluorido de urânio é processado em centrífugas nucleares.

O gás é submetido a rotação em velocidades extremas. Os átomos de urânio mais pesados (U-238) se concentram no alto da centrífuga, e os mais leves (U-235) ficam no centro. O gás recuperado no centro é enviado para uma nova centrífuga, que repete o processo sucessivamente, aumentando o grau de concentração de urânio. As usinas que fazem esse processo possuem milhares de centrífugas.

Para alimentar um reator nuclear de uso civil, é necessário que a taxa de enriquecimento de urânio esteja entre 3% e 5%. Para construir uma bomba atômica, é necessário ter urânio enriquecido em ao menos 90%.

* Com Reuters

    Leia tudo sobre: Irãprograma nuclearONUConselho de Segurança

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG