Irã diz que novas sanções não o prejudicarão

Teerã, 12 jan (EFE).- Um novo pacote de sanções internacionais por causa do programa nuclear não afetará o Irã nem ajudará a resolver o conflito, ressaltou hoje o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast.

EFE |

Durante sua entrevista coletiva semanal, o funcionário iraniano voltou a pedir que a comunidade internacional adote "uma postura mais construtiva", e defendeu continuar a negociação com o grupo integrado pelos membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU mais a Alemanha.

"Como já dissemos em outras ocasiões, as sanções das quais se fala não serão úteis nem construtivas. Não achamos que, com este método, seja possível solucionar os problemas", afirmou.

"Se insistirem neste caminho e tentarem se privar do potencial do Irã, não serão eles os prejudicados, e nenhum outro?", perguntou.

"Em vez de reconhecer os direitos de um país comprometido com as nações, que colaborou totalmente com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), e ouvir suas propostas, dedicam-se a politizar o tema", criticou.

Neste sentido, Mehmanparast insistiu em que, caso as medidas punitivas sejam aprovadas, a República Islâmica "continuará resistindo e alcançando sucessos, como fez nos últimos 31 anos".

O Irã mantém uma disputa com grande parte da comunidade internacional, por causa das suspeitas geradas pelo programa nuclear iraniano.

O conflito se agravou no final do ano passado, depois que Teerã rejeitou uma proposta de Washington, Paris e Moscou para enviar urânio iraniano a 3,5% ao exterior e recuperá-lo depois, enriquecido a 20%, nas condições necessárias para manter operacional um reator nuclear civil na capital do Irã.

Sobre isso, Mehmanparast disse hoje que o Irã não descartou de forma definitiva a troca de urânio, e que está disposto ao mesmo se houver as condições que seu país considera irrenunciáveis.

"O Irã está disposto a trocar seu combustível a 3,5% por material a 19,75%, se a outra parte aceitar uma transferência gradativa", disse.

Neste sentido, disse que seu país ainda está à espera da resposta da outra parte de sua proposta, na qual se exige garantias, como que a troca aconteça dentro do território iraniano.

Mehmanparast também afirmou que Teerã espera uma proposta formal de datas do grupo de países negociadores, para prosseguir o diálogo.

"O tema a ser tratado será o pacote apresentado pelo Irã. Mas se pode falar também dos pontos em comum entre a proposta que fizemos e a oferta apresentada por este grupo ao Irã", afirmou. EFE msh-jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG