Teerã, 7 mai (EFE).- O Irã assegurou hoje que nunca vai se retirar do Tratado de Não-Proliferação (TNP) de armas nucleares, e também não suspenderá o enriquecimento de urânio, como exige a comunidade internacional.

"Todas as atividades atômicas iranianas são pacíficas e respeitam as normas internacionais e da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA)", disse o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores Rasoul Mousavi, segundo a agência "Irna".

O porta-voz lembrou que o TNP reconhece o direito dos países signatários de ter acesso à tecnologia nuclear para fins pacíficos, por isso a República Islâmica "não se retirará desse tratado sob nenhuma circunstância".

Mousavi atribuiu a "motivações políticas" as pressões dos Estados Unidos e de outros países ocidentais sobre o Irã para que suspenda seu programa de enriquecimento de urânio.

Além disso, afirmou que a proposta que o Irã apresentará em breve ao Ocidente "ajudará a encontrar uma solução" à polêmica.

O Governo iraniano anunciou na semana passada que planeja apresentar ao grupo dos 5+1 (EUA, França, Reino Unido, Rússia e China, mais a Alemanha) uma proposta que inclui assuntos "políticos e de segurança".

Teerã deixou claro que não aceitará ofertas que não reconheçam seu "direito a desenvolver tecnologia nuclear", em alusão aos incentivos dos cinco membros permanentes do Conselho de Segurança e a Alemanha para que os iranianos abandonem o enriquecimento de urânio.

O Governo iraniano insiste em que seu programa é para gerar eletricidade, e rejeita as alegações ocidentais contra Teerã de ter realizado estudos nucleares secretos com fins militares.

"Nossa população cresce, e por isso necessitaremos em um futuro próximo de novas fontes de energia (além do petróleo). A energia nuclear é uma boa alternativa", disse Moussavi.

Também reiterou que a política atômica de seu país se baseia em uma "fatwa" (decreto religioso) do líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, que "proíbe o uso de armas nucleares". EFE rh/mh

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.