Irã diz que iniciará atividade em nova usina nuclear

Por Ramin Mostafavi TEERÃ (Reuters) - O Irã vai começar a operar uma nova usina nuclear de enriquecimento de urânio, disse um alto funcionário do governo nesta segunda-feira. A medida é parte de uma grande expansão do programa nuclear iraniano, que aumentou o temor no Ocidente de que o país pretenda construir uma bomba atômica.

Reuters |

Desafiando a pressão ocidental para coibir suas atividades nucleares mais sensíveis, o Irã anunciou em novembro que planejava expandir o enriquecimento de urânio por meio da construção de 10 novas instalações. A declaração foi então condenada pelos Estados Unidos e seus aliados europeus.

"O presidente confirmou o local escolhido para uma nova instalação nuclear e, quando ele ordenar, o processo de construção terá início", afirmou Mojtaba Samareh-Hashemi, um conselheiro de alto nível do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, segundo a agência de notícias semi-oficial iraniana ILNA.

"Os novos locais onde serão edificadas as usinas já foram determinados e a obra começará a ser realizada passo a passo", disse Samareh-Hashemi, de acordo com a agência.

A principal autoridade iraniana no campo nuclear, Akbar Salehi, declarou em fevereiro à Reuters que o país iria iniciar as obras de duas instalações de enriquecimento até março de 2011.

A Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), o órgão da ONU de verificação das atividades nucleares, tem buscado informações do Irã sobre seu anúncio de que construirá 10 usinas, plano que analistas avaliam que possa ser um exagero, já que isso levaria muitos anos, ou mesmo décadas para ser executado.

O Irã não notificou a AIEA sobre o novo local de instalação de uma usina, disse um diplomata próximo à agência, cuja sede fica em Viena. Pelas regras da AIEA, os países membros são obrigados a fazer essa comunicação oficialmente. Se isso não for feito, os integrantes da agência terão de votar sobre se alguma ação deverá ser adotada contra o Irã.

Os EUA vêm pressionando por uma quarta rodada de sanções da ONU contra o Irã nas próximas semanas, como forma de pressão para que o país suspenda suas atividades relacionadas ao enriquecimento de urânio, que o Irã diz que tem apenas finalidades pacíficas.

(Reportagem adicional de Sylvia Westall, em Viena)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG