Irã diz que embargos dos últimos 30 anos foram inúteis

Teerã, 1 abr (EFE).- O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Ramin Mehmanparast, afirmou hoje que os embargos da comunidade internacional demonstraram sua inutilidade nas últimas três décadas.

EFE |

Segundo a agência local de notícias "Mehr", Mehmanparast fez esta declaração em reação à postura do Canadá na reunião de ministros de Exteriores do Grupo dos Oito (G8, que reúne as principais potências do Mundo e a Rússia), realizada esta semana nesse país, na qual foi tratado o caso nuclear iraniano.

Ottawa disse que o G8 deve concordar novas sanções econômicas contra Teerã para sua aprovação pelo Conselho de Segurança da ONU, diante da ameaça do programa nuclear iraniano.

"O programa nuclear do Irã é totalmente pacífico, e falar de embargos é uma ameaça que mostrou sua inutilidade nos últimos 30 anos", afirmou.

O porta-voz da diplomacia iraniana disse ainda que "os países devem optar por reconhecer os direitos dos demais, especialmente no marco do Tratado de Não-Proliferação (de Armas Nucleares), em vez de empregar métodos incorretos como impor embargos e pressões".

O regime iraniano é criticado por grande parte da comunidade internacional por conta de seu controvertido programa atômico.

Países como Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha e Israel acusam o regime iraniano de esconder sob o programa nuclear civil outro de natureza clandestina e com ambições bélicas, cuja meta seria adquirir armas atômicas, uma alegação que Teerã rejeita.

Desde fevereiro, Washington, apoiado por Londres, Paris e Berlim tentam pactuar novas sanções internacionais contra o Irã. EFE msh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG