Irã diz que conversa com Obama seria bem-vinda--Kyodo

TÓQUIO (Reuters) - O Irã está aberto a conversas entre o presidente Mahmoud Ahmadinejad e o presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, disse o vice-presidente do país islâmico em entrevista à agência de notícias japonesa Kyodo. O vice-presidente Esfandiar Rahim Mashaie disse na entrevista em Tóquio que tal encontro deveria ser realizado de forma aberta e seu conteúdo, tornado público.

Reuters |

Mashaie disse à Kyodo que o presidente iraniano havia afirmado que "diplomacia direta é o melhor caminho para a paz", mas acrescentou que, para conseguir implementar mudanças, Obama deve distanciar da postura adotada por Washington até agora.

O Irã tem reiteradamente se recusado a ceder à pressão do Ocidente para abandonar seu programa nuclear, que muitos temem ser destinado a fabricar armas nucleares. Obama neste mês pediu um esforço internacional para deter Teerã em seu intento de desenvolver uma bomba atômica.

"O senhor Obama está em uma significativa encruzilhada histórica, mas há apenas dois caminhos para ele. Um que leva a bons resultados através de 'mudanças', como prometido em seu slogan, e outro com consequências extremamente graves se ele continuar com as mesmas políticas de administrações anteriores", disse Mashaie à Kyodo.

O Irã disse na quinta-feira ter 5.000 centrífugas de enriquecimento de urânio em funcionamento, sinalizando uma expansão do trabalho que o país assegura ser destinado à geração de eletricidade.

Analistas acreditam que o Irã pode, em um ou dois anos, ter em estoque uma quantidade de urânio enriquecido suficiente para usar em uma bomba.

Teerã diz querer gerar eletricidade para, assim, poder exportar mais petróleo e gás.

(Reportagem de Isabel Reynolds)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG