Irã diz que aumentará capacidade nuclear

TEERÃ - O Irã disse neste sábado que seguirá em frente com os planos de expandir o seu programa nuclear, após diplomatas em Viena terem dito que Teerã estava instalando centrífugas avançadas em sua principal planta de enriquecimento de urânio.

Reuters |

O porta-voz do governo também rejeitou qualquer possibilidade de paralisar o processo, que os Estados Unidos suspeitam de ter como objetivo construir bombas nucleares em troca de benefícios comerciais e tecnológicos, entre outros.

Falando pouco antes do Dia Nacional da Tecnologia Nuclear na república islâmica, que será comemorado em 8 de abril, Gholamhossein Elham afirmou que esperava por 'boas notícias' nessa data, mas não especificou quais seriam elas.

O quarto maior produtor de petróleo do mundo alega que precisa produzir combustível nuclear para uma planejada rede de usinas que satisfaria a demanda por eletricidade.

'A tendência de avançar na capacidade nuclear até atingir a produção de combustível e criar usinas nucleares para produzir 20.000 megawatts de eletricidade continuará', afirmou Elham.

Na quinta-feira, diplomatas disseram à Reuters que o Irã começou a instalar avançadas centrífugas de enriquecimento de urânio no complexo de Natanz, acelerando a atividade que poderia dar ao país os recursos para produzir bombas atômicas no futuro.

O Irã recebeu três pacotes de sanções da Organização das Nações Unidas por ter escondido o seu programa até 2003, além de não ter provado aos inspetores desde então que o objetivo do projeto é totalmente pacífico e de ter se recusado a suspender o controverso programa.

Urânio enriquecido pode ser usado como combustível em usinas nucleares ou, se refinado ainda mais, para prover material para bombas.

O jornal The Washington Times informou no mês passado que cinco membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU estavam preparando um pacote de incentivos a Teerã caso o país paralisasse o programa.

O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, rejeitou o pacote em entrevista à agência de notícias japonesa Kyodo na sexta-feira.

Ahmadinejad também disse que o Irã só discutirá a questão nuclear com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), rejeitando um pedido de potências mundiais de realizar mais negociações com o chefe de política externa da União Européia, Javier Solana.

'Não aceitamos substituir a AIEA... na estrutura de negociações', afirmou Elham.

Leia mais sobre: Irã - programa nuclear

    Leia tudo sobre: irãprograma nuclear

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG