TEERÃ - O Irã anunciou que destinará mais de US$ 150 milhões para reforçar a segurança de suas fronteiras, especialmente a leste, com Afeganistão e Paquistão.


O chefe da polícia do Irã, Ismail Ahmadi-Moqaddam, afirmou que o país pretende, assim, impedir o tráfico de drogas e a infiltração de grupos radicais sunitas e de rebeldes curdos nas fronteiras com a Turquia, o Paquistão e o Afeganistão.

"Possuímos uma boa rede de inteligência sobre grupos terroristas.

Vamos reforçar nossa presença para carimbar as fronteiras", afirmou Ahmadi-Moqaddam, citado nesta quinta-feira pela imprensa local.

A notícia coincide com a decisão do Irã de aceitar o convite dos Estados Unidos e de participar da cúpula internacional sobre o Afeganistão que será realizada na terça-feira em Haia.

Na fronteira noroeste, o Irã tenta controlar grupos separatistas curdos que atuam na região montanhosa compartilhada com o Iraque e a Turquia.

No leste, a situação fronteiriça é mais complicada, já que nessa região atuam traficantes de drogas e de armas e grupos radicais sunitas ligados à ideologia da rede terrorista internacional Al Qaeda e que se refugiam no Paquistão e no Afeganistão.

Leia mais sobre Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.