Irã defende programa nuclear e diz que não se submeterá à pressão

Berlim, 20 set (EFE).- O diretor do organismo da energia atômica iraniano, Ali Akbar Salehi, diz em uma entrevista divulgada hoje pela revista alemã Der Spiegel que o Irã não vai se submeter a ameaças externas.

EFE |

"Estamos muito em alerta. E estamos resignados ao pior. Mas não nos dobraremos", afirma Salehi sobre as críticas que, sobretudo de Israel, apontam para que Teerã só poderá pôr fim a seu programa de enriquecimento de urânio com um ataque militar.

Na entrevista à revista, que sai amanhã à venda, Salehi insiste, no entanto, que seu país não procura desenvolver armas atômicas, mas adverte que, como nação "soberana", tem "direito" a empregar essa tecnologia para fins civis.

"E não renunciaremos a esse direito. Nenhum Governo iraniano o fará, sob nenhuma circunstância", assegura.

Segundo ele, o Irã está interessado em uma "boa cooperação internacional" e está cumprindo de forma "estrita" o plano estipulado com a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA).

Salehi disse que o Irã quer dominar sem restrições a energia nuclear, mas não para criar bombas. "Sabemos que a construção da bomba não nos trará segurança. Pelo contrário", afirma.

Está previsto para o começo de outubro uma reunião entre Irã e representantes dos países negociadores para a questão nuclear - EUA, China, Rússia, França, Grã-Bretanha e Alemanha.

No entanto, o Irã já disse que não usará as negociações para reduzir suas ideias e projetos nucleares. EFE nvm/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG