Irã confirma detenção de três americanos e diz que são militares

Um canal de televisão estatal iraniano confirmou neste sábado a prisão de três cidadãos americanos que se infiltraram pela fronteira com o Iraque, enquanto outra rede afirmou que os três eram militares.

AFP |

Um alto funcionário da guarda de fronteira da região autônoma do Curdistão iraquiano informou na sexta-feira sobre a detenção, no Irã, de três americanos que "carregavam mochilas" e cruzaram a fronteira vindos do Iraque.

Os três americanos que "se infiltraram" no Irã através do Iraque foram presos, informou neste sábado a rede estatal de televisão Al-Alam, que transmite em árabe.

"Uma fonte iraniana confirmou a prisão dos três americanos, depois que eles se infiltraram através da fronteira iraquiana", informou o canal estatal, na primeira confirmação oficial por parte de Teerã do episódio.

Também sem citar fontes, outro canal estatal iraniano afirmou em seu boletim de notícias deste sábado que três membros do exército americano desapareceram perto da fronteira.

"Três militares (americanos) desapareceram na área de fronteira entre o Irã e o Iraque", informou o âncora do canal.

"A razão da presença destes soldados americanos é desconhecida. Nos últimos dias, a imprensa do Ocidente propagou ostensivamente que três militares americanos foram sequestrados", declarou.

Um oficial do Pentágono, que na sexta-feira já havia dito que nenhum membro do exército americano estava envolvido neste incidente, insistiu não se tratar de militares dos Estados Unidos.

Um alto funcionário do Curdistão iraquiano afirmou neste sábado que os três turistas americanos detidos na sexta-feira pelas autoridades iranianas haviam escalado uma colina que leva à fronteira com o Irã, apesar das advertências da polícia turística.

"Passaram sua primeira noite em Erbil e se deslocaram na quarta-feira para Suleimaniyeh, onde se hospedaram no hotel Miwan", acrescentou.

Procurado pela AFP, um funcionário do hotel falou em curdo, dizendo seu nome e a palavra "turista".

Segundo outra fonte dos serviços de segurança, os turistas presos são Joshua Steel, Shane Bower e Sara Short. O quarto membro do grupo, Shaun Gabriel Maxwell, de 36 anos, oriundo da Califórnia, não seguiu os amigos porque ficou doente.

"Na quinta-feira, três deles foram à zona turística de Ahmad Awa (95 km a nordeste de Suleimaniyeh), e a polícia turística da região pediu a eles que não subissem a montanha, porque a fronteira iraniana estava perto demais", destacou Bechro Ahmad.

"Apesar das advertências, eles subiram a montanha, e depois chamaram seu amigo, que havia ficado em Suleimaniyeh para informá-lo que haviam sido presos por iranianos na fronteira. Em seguida, Shaun Maxwell alertou a embaixada americana em Bagdá", relatou o porta-voz dos serviços de segurança curdos.

Procurada pela AFP neste sábado, uma porta-voz da embaixada dos Estados Unidos declarou que "ouvimos estas informações e estamos investigando, mas não podemos confirmar nada neste momento".

burs/hc/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG