Irã condena médicos a prisão perpétua por suposta ligação com EUA

Teerã, 19 jan (EFE).- Dois médicos iranianos detidos há meses fazem parte do grupo de quatro pessoas que na quinta-feira passada foram condenadas a cadeia perpétua por participar de um suposto golpe de Estado tramado pelos EUA, publicou hoje a imprensa local.

EFE |

"De acordo com a lista divulgadapelos serviços secretos, os médicos Arash e Kamiar Alei foram condenados", diz a agência semi-oficial iraniana "Fars".

Arash e Alei, especialistas no tratamento da aids, foram preos em junho, o que levantou protestos dos Estados Unidos e da União Europeia, que pediram sua libertação.

Na quinta-feira passada, o Poder Judiciário iraniano anunciou que tinha condenado quatro pessoas à prisão perpétua, após obter "evidências" que tinham participado de "um plano destinado a derrubar o atual regime revolucionário e apresentar os Estados Unidos como os únicos salvadores do povo iraniano". EFE jm/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG