Irã condena cineasta Jafar Panahi a seis anos de prisão

Renomado diretor da oposição iraniana também fica proibido de filmar, escrever roteiros e sair do país pelo período de 20 anos

iG São Paulo |

Dois importantes cineastas da oposição do Irã foram sentenciados a seis anos sob acusação de trabalhar contra o sistema vigente.

O cineasta renomado internacionalmente Jafar Panahi também foi proibido de filmar ou escrever roteiros de quaisquer obras por 20 anos e impedido de sair do país pelo mesmo período, de acordo com seu advogado, Farideh Qeirat.

"O senhor Panahi foi sentenciado a seis anos de prisão sob a acusação de (participar) de uma aglomeração e de fazer propaganda contra o sistema", disse Qeirat à agência de notícias ISNA. "Seus direitos sociais, que incluem a proibição a fazer filmes, roteiros, viagens internacionais e dar entrevistas à imprensa nacional e estrangeira foram suspensos por 20 anos", acrescentou o advogado, que disse que apelará da decisão.

O também opositor Mohammad Rasulov, que que fazia um filme com Panahi antes de sua prisão, recebeu uma sentença de seis anos sob acusações similares, disse seu advogado, Iman Mirzadeh, à agência ISNA. Ambos apoiaram a oposição nas contestadas eleições presidenciais de junho de 2009, quando o presidente Mahmoud Ahmadinejad foi declarado vencedor.

Mohammad Nourizad, outro diretor de cinema, cumpre três anos e meio de prisão por disseminar propaganda contra o governo e insultar os líderes do país.

Panahi foi detido em 1º de março juntamente com sua esposa, sua filha e outras pessoas que estavam em sua casa. A maioria dos detidos foi liberada em seguida. Ele foi libertado em maio após o pagamento de uma fiança de cerca de US$ 200 mil.

Logo após sua detenção, autoridades iranianas disseram que o prenderam por fazer um filme "contrário ao regime" sobre a conturbada situação que sacudiu o Irã depois da reeleição de Ahmadinejad.

Enquanto estava na prisão, Panahi fez uma greve de fome para protestar contra as condições de sua detenção e pressionar por seu pedido para ser libertado sob fiança enquanto aguardava a data do julgamento.

Panahi é conhecido por seus filmes corajosos e socialmente críticos, como "O Círculo", que arrebatou o Leão de Ouro do Festival de Veneza no ano 2000, "Ouro Carmim" e "Offside", ganhador do Urso de Prata do Festival de Berlim-2006.

Em fevereiro, as autoridades proibiram Panahi de deixar o país para assistir ao Festival de Berlim.

Sua detenção, em março, foi criticada por cineastas internacionais, como Steven Spielberg, Martin Scorsese, Ang Lee e Oliver Stone, e por outros jovens diretores iranianos.

O Festival de Cinema de Cannes e o governo francês também condenaram a prisão de Panahi, enquanto a atriz francesa Juliette Binoche caiu em prantos ao saber que ele estava em greve de fome.

*Com AFP e AP

    Leia tudo sobre: irãJafar Panahiahmadinejadcinema

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG