Teerã - O porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores iraniano, Hassan Qashqavi, afirmou que as sanções impostas ao Irã por causa de seu programa nuclear são inúteis e as comparou a uma espada enferrujada.

"O povo iraniano é favorável à interação e ao diálogo, mas não vai se entregar às pressões. As sanções não são mais que uma espada enferrujada que não produz um grande efeito", disse Qashqavi à televisão estatal iraniana na noite desta quarta-feira.

O porta-voz respondeu desta maneira a uma reunião realizada horas antes, na cidade alemã de Königstein, do grupo 5+1, integrado pelos países-membros do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha.

Fontes diplomáticas alemãs disseram que a reunião teve um nível técnico e seu objetivo principal era coordenar a postura dos seis países, estudar o último relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e analisar as últimas iniciativas do Irã.

A comunidade internacional acusa Teerã de esconder, sob seu programa nuclear civil, outro de caráter militar cujo objetivo seria a aquisição de um arsenal de armas atômicas.

O Irã nega as acusações e insiste em que a única meta de seu esforço nuclear é desenvolver a energia civil, especialmente a geração de eletricidade.

Na sexta-feira passada, a AIEA emitiu um relatório sobre o programa nuclear iraniano no qual ressaltou que constatou uma diminuição do processo de enriquecimento de urânio pela primeira vez em anos, mas advertiu que persistem as dúvidas sobre o objetivo final do esforço militar.

Leia mais sobre: Irã

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.