Irã comemora com fogos e doces o triunfo da Revolução Islâmica

Teerã, 9 fev (EFE).- Os iranianos comemoraram hoje com fogos de artifício e doces para a população o aniversário de 30 anos do triunfo da Revolução Islâmica no país.

EFE |

Às 21h local (16h30 de Brasília), o céu de Teerã foi iluminado pelos fogos, enquanto em muitas ruas da cidade motoristas e pedestres recebiam doces para celebrar a Revolução.

O Irã comemora amanhã o triunfo final da revolta popular que derrubou a monarquia autoritária do último Xá da Pérsia, o pró-ocidental Mohammad Reza Pahlavi.

As celebrações oficiais vão começar no início da manhã, com um desfile militar e uma exibição aérea na qual serão lançadas milhares de flores sobre o cemitério dos mártires.

Em seguida, o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, pronunciará um discurso.

O Irã iniciou as festividades da revolução no dia 31 de janeiro, data na qual o aiatolá Khomeini voltou ao país, após 15 anos no exílio, primeiro no Iraque e depois na França.

Durante os 10 dias seguintes, a revolução que tinha começado como uma revolta de todos os grupos opositores ao Xá deu um giro que marcaria seu destino final.

Um dia após seu retorno, Khomeini mostrou sua total rejeição ao Executivo provisório laico do primeiro-ministro opositor Shapour Bakhtiar, e exigiu lealdade para seu "Governo de Deus" e para seu próprio primeiro-ministro interino, Mehdi Barzagan.

As grandes manifestações contra o Xá geraram ondas de violência que começaram a crescer em intensidade, até que no dia 9 de fevereiro de 1979 explodiu uma dura batalha entre as diversas facções do Exército e a Polícia.

Dois dias depois, o Conselho Supremo Militar se declarou neutro para evitar o derramamento de sangue, e os militantes religiosos assumiram o poder, confirmando o triunfo da Revolução Islâmica. EFE msh/mh

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG