Irã coloca em órbita seu primeiro satélite e preocupa ocidentais

O Irã anunciou ter colocado em órbita na segunda-feira à noite seu primeiro satélite, com a ajuda do foguete Safir-2, o que pode aumentar as preocupações da comunidade internacional sobre as capacidades balísticas da República Islâmica.

AFP |

O satélite, batizado de Omid ("esperança"), tem fabricação 100% iraniana, destacou a agência oficial Irna. O lançamento coincide com o 30º aniversário da revolução islâmica.

"É o primeiro satélite lançado na história de nossa nação e foi propulsado pelo foguete Safir-2", destacou a agência Fars. A agência Irna informou que o lançamento aconteceu na noite de segunda-feira.


Irã lançou seu primeiro satélite de fabricação própria / AP

Um canal de televisão estatal exibiu imagens do presidente Mahmud Ahmadinejad dando a ordem de lançamento do foguete, que transportava uma "mensagem de amizade e de paz do presidente", segundi a Fars.

De acordo com a agência Isna, a primeira operação do satélite foi difundir a mensagem do presidente, mas sem precisar de que maneira.

"Querido povo iraniano, vossos filhos enviaram seu primeiro satélite de fabricação nacional, que foi colocado na órbita da Terra, em nome de Deus e do 12º imã do xiismo", afirma a mensagem, de acordo com a Isna.

"A presença oficial da República Islâmica do Irã no espaço entrou para a história para reforçar a fé em Deus, na justicia e na paz", conclui o texto.

O ministro iraniano das Relações Exteriores, Manuchehr Mottaki, afirmou que o lançamento do satélite tem fins pacíficos, como a coleta de dados ambientais.

"A capacidade tecnológica do Irã está destinada a cobrir as necessidades do país", disse, antes de insistir que "as atividades do satélite iraniano querem apenas a paz".

O Irã anunciou em 17 de agosto ter lançado com sucesso o foguete Safir ("embaixador"), que segundo Teerã seria capaz de colocar um satélite levo em órbita baixa, a uma distância mínima de 250 km da Terra e máxima de 500 km.

No entanto, o anúncio foi recebido com ceticismo em muitos países ocidentais.

O Irã anunciou no fim de novembro que havia lançado com sucesso seu segundo foguete espacial, o Kavoshgar-2, e a recuperação de uma sonda que viajou a bordo.

Caso seja confirmada a entrada em órbita do Omid, o Irã será o segundo país da região, depois de Israel, com capacidade para lançar satélites.

Desconfiança ocidental

Os países ocidentais desconfiam do programa espacial iraniano. A comunidade internacional teme que o mesmo permita a Teerã desenvolver suas capacidades de ataque balístico.

A Irna destacou que o satélite Omid foi totalmente fabricado no país por cientistas iranianos e que o mesmo dá 15 voltas ao redor da Terra a cada 24 horas. Em cada rotação é controlado duas vezes por uma estação no solo.

Os Estados Unidos se declararam muito preocupados com o anúncio do Irã.

"O caminho percorrido pelo Irã no lançamento de satélites poderá levar ao desenvolvimento de mísseis balísticos e isso é uma grande preocupação para nós", declarou o porta-voz do departamento de Estado, Robert Wood.

A Grã-Bretanha igualmente se disse profundamente preocupada. "Isso suscita nossas profundas preocupações sobre as intenções do Irã", declarou o subsecretário de Estado, Bill Rammell.

A França também se declarou preocupada com a entrada em órbita de um satélite iraniano, já que a tecnologia do lançamento é similar a dos mísseis balísticos. "O lançamento deste satélite nos preocupa, pois esta tecnologia é muito similar a do potencial balístico", disse o porta-voz, Eric Chevallier.

"Não podemos deixar de vincular isto às muito fortes preocupações sobre o desenvolvimento de um potencial nuclear militar", acrescentou. "A semelhança de tecnologias nos preocupa", insistiu.

Leia mais sobre Irã

    Leia tudo sobre: irã

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG