(atualiza com a reivindicação do atentado pelo IRA Autêntico) Londres, 12 abr (EFE).- O IRA Autêntico, grupo rescindido do inativo Exército Republicano Irlandês (IRA), se responsabilizou hoje pelo carro-bomba que explodiu pouco após a meia-noite na localidade norte-irlandesa de Holywood, perto de uma dependência do Exército onde o serviço secreto MI5 tem seu quartel-general.

A bomba foi transportada até o local da explosão em um táxi sequestrado pelos terroristas depois que estes ameaçaram a família do taxista, segundo informou à "BBC" Basil McCrea, membro do Partido Unionista.

Aconteceram duas detonações, a primeira uma bomba e a segunda o tanque de gasolina do automóvel, que destruiu o veículo e causou outros destroços.

Um idoso que passava pelo local no momento da explosão teve que ser levado urgentemente ao hospital, segundo McCrea.

Perguntado pelos possíveis autores do atentado, McCrea disse que "são claramente gente que quer protestar pela devolução dos poderes da Polícia e justiça à Irlanda do Norte", que aconteceu justamente passada a meia-noite.

"Infelizmente podem acontecer mais incidentes como este nos próximos dias. Sabemos que a devolução desse poder não ia ser fácil.

Há gente disposta a perturbar o processo", assinalou.

Em março, a Assembleia da Irlanda do Norte votou majoritariamente a favor da devolução dos poderes de Polícia e Justiça à região.

O Parlamento deve votar hoje a nomeação de um novo ministro da Justiça, que será o primeiro político norte-irlandês que assumirá essa pasta em 38 anos. EFE jr/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.