Até 30 pessoas morreram nos distúrbios ocorridos após as polêmicas eleições de 12 de junho no Irã, vencidas oficialmente pelo presidente atual Mahmud Ahmadinejad, afirmou nesta terça-feira um deputado citado pela agência ILNA.

"No máximo, 30 pessoas morreram nos distúrbios sangrentos depois das eleições", afirmou Farhad Tajari, membro da Comissão de Justiça do Parlamento, segundo a agência.

Até agora, as autoridades iranianas haviam reconhecido a morte de 20 pessoas nos distúrbios provocados pela controversa reeleição de Ahmadinejad.

hif/lm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.