O Irã atacará Israel e a frota militar norte-americana no Golfo em resposta a qualquer agressão dos Estados Unidos, disse Ali Shirazi, um assessor do líder supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, citado nesta terça-feira pela agência Fars.

"O primeiro disparo norte-americano contra o Irã provocará um incêndio nos interesses vitais dos Estados Unidos no mundo", afirmou o hoyatoleslam Shirazi, representante de Khamenei nas forças navais dos Guardiões da Revolução.

"Tel Aviv e a frota norte-americana no Golfo Pérsico serão os alvos incendiados na arrasadora resposta do Irã", de acordo com a agência Fars.

Estados Unidos e Israel, seu principal aliado na região, nunca descartaram a possibilidade de atacar o Irã devido ao seu programa nuclear, que segundo os ocidentais poderá ser destinado a fabricar armas nucleares.

Os temores de ataques contra o Irã aumentaram depois das informações de que Israel realizou manobras na Grécia, que, na prática, seriam treinamentos para um potencial ataque contra as instalações nucleares iranianas.

Não ficou claro se Shirazi se referia a Tel Aviv como cidade ou como símbolo de todo o Estado hebreu, que a República Islâmica não reconhece.

O clérigo fez esses comentários enquanto os Guardiões da Revolução, o Exército ideológico do regime islâmico iraniano, efetuanvam manobras navais no Golfo, em meio a tensões relacionadas ao programa nuclear de Teerã.

"As manobras Grande Profeta III das quais participam as unidades balísticas aéreas e unidades navais dos Guardiões estão sendo efetuadas neste momento", informou a agência Fars.

O objetivo das manobras é aperfeiçoar as "capacidades de combate das unidades balísticas e navais" dos Guardiões da Revolução, acrescentou a agência, que não indica quando começaram os exercícios.

Os Guardiões da Revolução, um Exército paralelo criado após a Revolução Islâmica de 1979, possuem de vários mísseis, entre eles os Shahab-3, capazes de atingir Israel e as bases militares norte-americanas no Oriente Médio.

O líder dos Guardiões, o general Mohammad Ali Jafari, ameaçou no sábado os "inimigos" com "ataques fatais" no Golfo, e acrescentou que em caso de ataque ao Irã "as táticas de guerra relâmpago dos barcos dos Guardiões não darão aos inimigos nenhuma chance de escapar".

O chefe do Estado-Maior do Exército iraniano advertiu no sábado que seu país poderá fechar o estratégico estreito de Ormuz, por onde passa aproximadamente 40% do petróleo mundial, se seus interesses forem ameaçados.

sgh/dm/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.