Irã assistirá à cúpula sobre Afeganistão, diz porta-voz

Teerã, 26 mar (EFE).- O Irã confirmou hoje que aceitou o convite dos Estados Unidos e participará da cúpula internacional sobre o Afeganistão que será realizada na próxima terça-feira, em Haia.

EFE |

"O Irã participará. Mas ainda não foi decidido a que nível", disse hoje aos jornalistas o porta-voz do Ministério de Assuntos Exteriores do Irã, Hassan Qashqavi.

A notícia tinha sido antecipada na quinta-feira pelo ministro de Assuntos Exteriores holandês, Maxime Verhagen, durante uma entrevista coletiva oferecida em Haia.

Em um gesto sem precedentes próximos, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, convidou o Irã, em 6 de março a ir à reunião internacional, como primeiro passo na busca de vias que levem a uma aproximação entre os dois países.

Os Estados Unidos e o Irã romperam seus laços diplomáticos em abril de 1980, após consolidada a vitória da Revolução Islâmica que derrubou o regime pró-ocidental do último xá da Pérsia, Mohamad Reza Pahlevi.

Logo após tomar posse, o atual presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, expressou seu desejo de iniciar um novo capítulo com o Irã, se o regime dos aiatolás "abrisse o punho".

Até o momento, Obama teve dois gestos ao inimigo: o convite à cúpula sobre o Afeganistão, finalmente aceita, e uma mensagem de conciliação dirigida ao povo em 21 de março, por ocasião do Ano Novo persa.

Na quinta-feira, Verhagen disse que o objetivo da conferência não é falar "sobre tropas nem sobre contribuições econômicas à reconstrução do Afeganistão".

Por outro lado, a conferência deve "esboçar as melhores estratégias políticas (...) para garantir a estabilidade na região (...) e garantir que o Afeganistão não se transforme de novo em um campo de treinamento para o terrorismo".

Além disso, o evento deve se dirigir "especificamente" a analisar o papel dos países vizinhos - como Irã e Paquistão - no futuro do Afeganistão, que em 20 de agosto realiza eleições presidenciais, acrescentou o ministro.

As autoridades holandesas disseram que ainda não se sabe a composição específica das delegações dos países participantes, mas confirmaram a presença Hilary Clinton e do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon. EFE jm/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG